Ibama e setor privado de ensino definem parceria na Bahia

A definição do trabalho em parceria institucional a ser desenvolvido brevemente entre o Ibama na Bahia, e as faculdades particulares que atuam no Estado foi o tema central da reunião ocorrida na sexta-feira (13/2), na sede do Órgão, entre o Gerente Execut

  
  

A definição do trabalho em parceria institucional a ser desenvolvido brevemente entre o Ibama na Bahia, e as faculdades particulares que atuam no Estado foi o tema central da reunião ocorrida na sexta-feira (13/2), na sede do Órgão, entre o Gerente Executivo do Ibama no Estado, Julio Rocha, e representantes de 9 Instituições privadas de Ensino Superior, 14 foram convidadas.

A base desse trabalho conjunto, segundo Julio Rocha, é o compartilhamento mútuo de conhecimentos técnicos, científicos, e de ações integradas, que automaticamente elevarão a qualidade do trabalho desenvolvido por ambas as partes. Foi consenso entre os representantes das faculdades que essa parceria proposta pela direção do Ibama é benéfica e necessária.

De acordo com a professora Lígia Paraguassú, da Universidade Católica de Salvador, as metas do Ibama na execução da política nacional do meio ambiente são as mesmas defendidas pelo setor acadêmico, não havendo dessa forma nexo em se realizar um trabalho dissociado.

As especificações que nortearão o trabalho em parceria serão definidas através da realização de convênios de cooperação técnica, a exemplo do que ocorreu com as Universidades Públicas do Estado (Universidade Federal da Bahia – UFBA, Universidade do Estado da Bahia – UNEB e, Universidade Estadual de Feira de Santana –UEFS).

Na reunião, Julio Rocha, gerente do Ibama, disse que é prioridade na sua gestão a capacitação dos servidores do Órgão, e sugeriu como um dos itens do convênio o intercâmbio técnico institucional, visando a interação dos técnicos qualificados do Órgão nos trabalhos acadêmicos, fornecimentos de bolsas e estágios, entre outras medidas.

Fonte: AssCom Ibama-BA

  
  

Publicado por em