Ibama inicia fechamento de carcinicultura em Cananéia/SP

Analistas e técnicos ambientais do Ibama começaram na manhã da terça-feira (06/9) o fechamento de uma carcinicultura na região de Cananéia, litoral sul de São Paulo. A operação se estendeu até o domingo (11/9), quando todos os tanques do empreendimen

  
  

Analistas e técnicos ambientais do Ibama começaram na manhã da terça-feira (06/9) o fechamento de uma carcinicultura na região de Cananéia, litoral sul de São Paulo.

A operação se estendeu até o domingo (11/9), quando todos os tanques do empreendimento forem esvaziados e os camarões da espécie vanamei ,cerca de 5 toneladas , recolhidos.

Todo o camarão recolhido será congelado e, posteriormente, doado a instituições filantrópicas da grande São Paulo, do litoral sul e da baixada santista.

O proprietário do empreendimento, Josef Siffert, que também acompanha a operação, já foi autuado diversas vezes por exercer a atividade sem licença do Ibama, por introduzir espécie exótica em área de proteção ambiental e por estar vendendo o camarão vanamei como isca-viva.

Segundo o coordenador da operação, o analista ambiental, Eliel de Souza, a interrupção desse cultivo ilegal de camarão vanamei será uma vitória coletiva dos que lutam pela conservação do complexo estuarino-lagunar da região.

`Estamos nos empenhando para afastar de uma vez por todas essa ameaça e contribuindo para que a maricultura seja desenvolvida de forma ordenada`, explica.

O camarão vanamei (Litopenaeus vannamei), também conhecido como camarão branco do Pacífico, ocorre originalmente na costa latino-americana, entre o Peru e o México. Sua introdução no Brasil se deu na década de 1990. Seu rápido crescimento e sua facilidade de adaptação a novos meios levaram criadores de todo o Brasil a optar pela espécie.

A utilização do vanamei, contudo, deve se restringir à alimentação humana. O uso como isca-viva está proibido para evitar que camarões dessa espécie sejam introduzidos nos ambientes livres e coloquem em risco camarões nativos brasileiros e outros organismos de nossos ecossistemas.

Na carcinicultura de Cananéia o risco é maior ainda em razão de a área ser de grande importância ecológica (manguezais) e de estar inserida numa unidade de conservação (Área de Proteção Ambiental Cananéia - Iguape-Peruíbe).

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em