Inauguração de bosque comemora entrada em vigor do Protocolo de Quioto

O Ministério do Meio Ambiente comemorou no último dia 16/2 a entrada em vigor do Protocolo de Quioto, inaugurando um bosque com mudas de árvores plantadas por representantes de cada um dos 141 países que ratificaram o acordo internacional. O Protocolo

  
  

O Ministério do Meio Ambiente comemorou no último dia 16/2 a entrada em vigor do Protocolo de Quioto, inaugurando um bosque com mudas de árvores plantadas por representantes de cada um dos 141 países que ratificaram o acordo internacional.

O Protocolo, criado em 1997, estabelece metas de redução de emissões de gases para os países desenvolvidos, a serem atingidas no período de 2008 a 2012.

O Protocolo de Quioto foi o primeiro passo concreto para combater as mudanças climáticas globais.Ele prevê a redução das emissões dos gases que provocam o efeito estufa por parte dos países industrializados.

Para entrar em vigor, o protocolo precisava ser ratificado por países responsáveis por pelo menos 55% das emissões. Essa meta foi atingida em novembro do ano passado com a adesão da Rússia, segundo maior emissor de gases do mundo.

O governo dos Estados Unidos, os maiores emissores, com mais de 36% do total mundial, optou pela não-ratificação. O protocolo estabelece, ainda, três mecanismos de flexibilização para facilitar sua implemtnação: o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), a implementação conjunta e o comércio de emissões.

O único que envolve a participação de países em desenvolvimento, como o Brasil, é o MDL, elaborado com base em uma proposta brasileira. O MDL possibilita a transferência de recursos e tecnologias limpas de países
desenvolvidos para países em desenvolvimento. Estima- se que China, Brasil e Índia serão os maiores receptores desse tipo de projeto. Embora o Brasil não possua metas, há um comprometimento voluntário do País para redução de suas emissões.

O combate às queimadas e ao desmatamento é o principal desafio brasileiro. O Ministério do Meio Ambiente tem conduzido ações que terão reflexo no modelo de desenvolvimento, na ocupação da terra e no futuro da Amazônia, bioma com importância fundamental na regulação do clima global. Entre as iniciativas governamentais, estão o Plano de Desenvolvimento Sustentável para a Área de Influência da BR-163 e o Plano para de Ação para a Prevenção e o Controle do Desmatamento Ilegal na Amazônia, que integram o Plano Amazônia Sustentável.

O novo Programa Nacional de Florestas já possibilitou o aumento significativo na área de florestas plantadas. Entre 2002 e 2004, a área plantada passou de 320 mil hectares para 475 mil hectares. E a projeção para este ano é de que a área chegue a 520 mil hectares.

O cultivo de florestas é fundamental para a fixação de carbono, contribuindo para a redução dos efeitos do aquecimento global. O Brasil também ganhou quase três milhões de hectares em áreas de preservação desde 2003, área semelhante a do Estado de Alagoas.

Foram ampliadas, ainda, as áreas dos parques nacionais Grande Sertão Veredas (MG/BA) e da Floresta da Tijuca (RJ) e da Estação Ecológica do Taim (RS). A criação e consolidação dessas áreas protegidas contribui para a preservação de importantes ecossistemas e biomas.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

  
  

Publicado por em