Indústria de bebidas vai patrocinar cooperativa de catadores em Mato Grosso

Um dos tipos de lixo que mais causa problema por não ter um destino final certo em Mato Grosso, o Pet(garrafas de refrigerante), está com os dias contados. Em junho, Cuiabá, capital do estado do Mato Grosso, ganha um incentivo a mais para retirá-lo das ru

  
  

Um dos tipos de lixo que mais causa problema por não ter um destino final certo em Mato Grosso, o Pet(garrafas de refrigerante), está com os dias contados. Em junho, Cuiabá, capital do estado do Mato Grosso, ganha um incentivo a mais para retirá-lo das ruas e principalmente do rio Cuiabá, que leva ao pantanal.

Quem vai incentivar é o Programa Reciclagem Solidária Cooperativas, implantado pela Ambev - Companhia de Bebidas das Américas, inicialmente, no Rio de Janeiro e que, este ano, será ampliado para Mato Grosso, mais dois estados (Rio Grande do Sul e Goiás) e Brasília.

A assessoria de imprensa da empresa explica que o objetivo da ampliação do programa é abrir o horizonte de atuação ambiental junto às comunidades onde a Ambev está inserida. Por isso, em conjunto com a organização não governamental, Recicloteca, trará a bem-sucedida experiência do Rio de Janeiro, para o Centro-Oeste e Sul do país.

O anúncio da expansão foi feito pela gerente de Comunicação Corporativa da AmBev, Carla Coelho, e pela coordenadora da Recicloteca, Vera Chevalier.

Lançado em 2002 como projeto-piloto, o Reciclagem Solidária beneficiou 11 cooperativas de catadores do Rio de Janeiro. Cada uma delas recebeu uma prensa, além de treinamento e orientação dos técnicos da Recicloteca. O resultado superou as expectativas.

As cooperativas registraram um aumento médio de 153% no volume de embalagens pet coletadas e de 88% no valor do quilo do pet comercializado.

`Esse desempenho nos animou e estimulou a ampliar o programa para outras regiões do Brasil`, disse Carla Coelho.

Com a ampliação, além das 11 cooperativas do Rio de Janeiro, que já receberam as suas prensas, outras 16 devem ser beneficiadas. Seguindo o modelo testado em 2002, cada uma delas terá direito a uma prensa hidráulica e participará de cursos de cidadania e de capacitação técnica.

Este ano, o programa atuará também em duas outras frentes: o trabalho realizado junto às comunidades localizadas próximas às cooperativas será reforçado e os funcionários da AmBev também serão envolvidos.

`Nosso objetivo é despertar a consciência ambiental, que ajudará a multiplicar a coleta seletiva e, conseqüentemente, diminuir o lixo dessas regiões. O resultado é redução de detritos em rios, encostas e ruas e do custo com limpeza para municipalidade`, explicou Vera Chevalier.

Hoje, sem a prensa, os catadores do Rio de Janeiro têm uma renda que varia de R$ 200 a R$ 600, dependendo do grau de organização das cooperativas. Em fardos, o material reciclado, em especial o PET, é facilmente armazenado nas cooperativas, possibilitando maior coleta de lixo.

Produzindo fardos de 150 quilos, a prensa também agiliza o manuseio e o transporte do produto coletado. O resultado é a obtenção de preço mais elevado. Sem a prensa, o quilo é vendido por R$ 0,28 a R$ 0,40 . Prensado, ele sobe para R$ 0,50 a R$ 0,70 o quilo.

Em Mato Grosso, o nome da cooperativa de catadores que vai participar do projeto, será divulgado oportunamente pela empresa. No Rio Grande Sul serão três cooperativas beneficiadas, uma em Brasília e uma em Goiás.

Carla informou ainda que o processo de seleção da cooperativa é rigoroso pois exige que sejam organizadas legalmente, possua terreno próprio, ponto de energia elétrica legalizado e não tenha a participação de menores.

Nos últimos seis anos, a AmBev investiu mais de US$ 49 milhões em programas e controles ambientais. Além de desenvolver projetos em suas unidades fabris, a companhia patrocina a Recicloteca e é uma das fundadoras do Cempre (Compromisso Empresarial para Reciclagem) que promove a reciclagem no Brasil. São mantidas também parcerias com escolas para despertar nas novas gerações o compromisso com a preservação ambiental.

Recicloteca :

Criada há mais de 10 anos pela ONG Ecomarapendi e patrocinada pela AmBev desde o início, a Recicloteca é um dos maiores centros de informações sobre reciclagem e meio ambiente da América Latina e tornou-se uma referência nacional.

A instituição possui um acervo com 10 mil títulos que pode ser consultado na sede, por telefone/fax, correio convencional ou correio eletrônico. O centro também mantém um site . Mais ainda, a Recicloteca elabora programas de capacitação profissional e oficinas de reciclagem.

Em sua sede, em Laranjeiras, no Rio de Janeiro, mantém o Espaço Reciclarte, uma galeria permanente para exposição dos trabalhos de artistas que utilizam o reaproveitamento de material.

Fonte: Estação Vida

  
  

Publicado por em

Jair de Oliveira

Jair de Oliveira

14/04/2012 21:02:01
Gostaria que a Ambev também desse apoio a nossa Cooperativa Coopertan-Tangara da Serra MT. Recolhemos cerca de 62 fardos prensados de Pet.

Elenice Marcondes Faria

Elenice Marcondes Faria

18/12/2008 17:03:47
Acho essa iniciativa muito positiva, principalmente agora que estamos todos envolvidos nas quetões ambientais, mas tenho certeza que existem outras frentees que voces poderiam estar investindo, como por exemplo faço parte de um Centro Comunitario que é localizado dentro da comunidade do comnplexo dos Macacos em Vila Isabel. E estamos querendo desenvolver um projeto com os adolescentes e suas familias que tem como objetivo tentar reduzir a questão do lixo nesta comunidade e estamos precisando de ajuda para concretizar este projeto. Já temos o local e precisamos de prensa e balança para iniciarmos os trabalhos. Será que voces estariam interessados em conhecer esse projeto e nos ajudar?

Justiniano vasquez chavez

Justiniano vasquez chavez

07/11/2008 12:27:08
el resiclase es la mallor alternativa para el futuro para de purar el medio anbiente de la contaminacion de la tierra porque todo material resiclabe debe ser separado y no entreverar co lo horganico educa asi ala populacion de no votar basura a las calles