Indústria e governo debatem crescimento com sustentabilidade ambiental

São Paulo “ Como ter um crescimento econômico robusto e ao mesmo tempo preservar o meio ambiente, de forma a garantir a sustentabilidade desse crescimento, é o foco dos debates da I Conferência da Indústr

  
  

São Paulo “ Como ter um crescimento econômico robusto e ao mesmo tempo preservar o meio ambiente, de forma a garantir a sustentabilidade desse crescimento, é o foco dos debates da I Conferência da Indústria Brasileira para o Meio Ambiente (CIBMA), que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) promove de hoje (13) a sexta-feira (15) na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo.

Representantes da indústria, do governo, de Organizações Não-Governamentais (ONGs) e de entidades da sociedade civil se reunirão
durante os três dias da conferência para subsidiar o posicionamento do
setor industrial quanto ao meio ambiente, suas demandas e propostas para o governo.

Na sexta-feira, a CNI terá o relatório da CIBMA, que será referendado pela diretoria da entidade antes de ser entregue ao governo. Também na sexta, será divulgada uma sondagem feita com empresas de todo o
país sobre as práticas de preservação ao meio ambiente adotadas por elas e também as principais dificuldades enfrentadas no setor.

O presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Robson de Braga Andrade, salientou hoje o compromisso da indústria com “crescimento com sustentabilidade”. “O objetivo maior dessa conferência é mostrar que a sociedade brasileira é capaz de crescer com sustentabilidade”, declarou.

Integrantes do governo federal que participaram da abertura da I CIBMA
qualificaram o evento como histórico. “As conclusões do encontro serão um elemento importantíssimo para subsidiar a elaboração de políticas
públicas para o meio ambiente”, afirmou o secretário interino de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Ruy de Góes, representante da ministra Marina Silva.

De acordo com o secretário do Desenvolvimento da Produção do Ministério
do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Otávio Bezerra
Prates, representante do ministro Miguel Jorge, o tema do meio ambiente está no cerne da agenda do setor produtivo, principalmente após a divulgação dos primeiros resultados do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, da Organização das Nações Unidas (ONU).

“A agenda é oportuna e devemos sempre manter uma visão sobre a questão do desenvolvimento e preservação ambiental evitando antagonismos e extremismos, que em nada contribuem ao processo”, apontou.

A coordenadora do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Cristina Montenegro, resumiu a preocupação central dos debates.

“O limite do crescimento econômico mundial se dará pela capacidade das indústrias de definirem um meio de produção consistente com a preservação dos recursos naturais”, afirmou. Segundo ela, o desafio é crescer mais usando menos recursos naturais e causando menos poluição.

“À medida que as indústrias poluam cada vez menos, os limites de crescimento podem ser estendidos”, disse Cristina.

Para o diretor de sustentabilidade da empresa global de consultoria
PricewaterhouseCoopers, Marco Antônio Fujihara, é possível alcançar esse
equilíbrio, uma vez que sustentabilidade gera lucro e é uma tendência de
mercado irreversível.

Para a sustentabilidade se transformar em bom negócio, segundo Fujihara, basta que as corporações assumam valores que sustentem o trinômio responsabilidades social, ambiental e econômica.“Esses fatores devem estar na mesma dimensão, proporcionando lucro e uma sociedade saudável”, disse Fujihara.

Fonte: Unicom - Unidade de Comunicação Social

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em