Instituto Interamericano de Cooperação na Agricultura lança site de combate á desertificação

O IICA - Instituto Interamericano de Cooperação na Agricultura - em parceria com o Fundação Grupo Esquel Brasil, BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento e Fundo Especial do Governo do Japão - acaba de lançar o site do Programa de Combate à Desertifi

  
  

O IICA - Instituto Interamericano de Cooperação na Agricultura - em parceria com o Fundação Grupo Esquel Brasil, BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento e Fundo Especial do Governo do Japão - acaba de lançar o site do Programa de Combate à Desertificação.

O programa tem o objetivo de ampliar a capacidade técnica e institucional das entidades especializadas, envolvidas no combate à desertificação no Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Equador e Peru. Atende aos aspectos sociais e ambientais nas regiões áridas, semi-áridas e sub-úmidas secas, com ações dirigidas basicamente à assistência técnica, treinamento, formulação de políticas e divulgação de informações técnicas para beneficiar a população local.

A iniciativa inclui a capacitação dos agentes locais dos países participantes para o combate à desertificação, a redução das desigualdades sociais, o crescimento econômico e a conservação dos recursos naturais.

Histórico :

A desertificação começou a ser discutida pela comunidade científica nos anos 30, decorrente de um fenômeno ocorrido no meio oeste americano conhecido como Dust Bowl, onde intensa degradação dos solos afetou uma área de cerca de 380.000 km2 nos Estados de Oklahoma, Kansas, Novo México e Colorado.

Este fenômeno motivou os cientistas a iniciarem um conjunto de pesquisas e a mencionarem tal processo como sendo o da desertificação, isto é, a formação de condições de tipo desértico em áreas de clima semi-árido.

Foi somente no início dos anos 70, quando ocorreu uma grande seca na região localizada abaixo do deserto do Sahara, conhecida como Sahel, onde mais de 500 mil pessoas morreram de fome, que a comunidade internacional reconheceu o impacto econômico, social e ambiental do problema, estabelecendo um programa mundial de ação para combater a desertificação.

A Agenda 21, em seu capítulo 12, definiu a desertificação como sendo "a degradação da terra nas regiões áridas, semi-áridas e sub-úmidas secas, resultante de vários fatores, entre eles as variações climáticas e as atividades humanas", sendo que, por "degradação da terra" se entende a degradação dos solos, dos recursos hídricos, da vegetação e a redução da qualidade de vida das populações afetadas.

Durante a Rio-92, vários países com problemas de desertificação propuseram à Assembléia Geral que aprovasse a negociação de uma Convenção Internacional sobre o tema. A Assembléia Geral aprovou a negociação da Convenção, que foi realizada a partir de janeiro de 1993 e finalizada em 17 de junho de 1994, data que se transformou no Dia Mundial de Luta contra a Desertificação.

Fonte: Boletim Nead

  
  

Publicado por em