Itália vai ampliar o `Programa Fogo: Amazônia Encontrando Soluções`

O embaixador da Itália, Vincenzo Petroni, anunciou em Alta Floresta (MT) que o `Programa Fogo: Amazônia Encontrando Soluções` será ampliado em Mato Grosso, Pará e Acre e atuará também em Rondônia. Ao ser recebido no aeroporto pelo prefeito da cidade,

  
  

O embaixador da Itália, Vincenzo Petroni, anunciou em Alta Floresta (MT) que o `Programa Fogo: Amazônia Encontrando Soluções` será ampliado em Mato Grosso, Pará e Acre e atuará também em Rondônia.

Ao ser recebido no aeroporto pelo prefeito da cidade, Romoaldo Junior, representantes de instituições de meio ambiente e de ensino superior, coordenadores do programa e a classe empresarial, Vincenzo disse que ficou maravilhado com as matas e rios da floresta mato-grossense, mas ressaltou o alto nível de desmatamento visível nos vôos para a região.

`Mas entendemos que é preciso criar alternativas sustentáveis e estamos muito entusiasmados com a metodologia do programa Fogo porque ele atua desta forma`, disse o embaixador.

A cooperação italiana investe três milhões e noventa e oito mil euro por ano no programa. Para o prefeito de Alta floresta, Romoaldo Júnior, a visita do embaixador como também a da ministra Marina Silva na semana que vem na abertura da Expoambiente estão servindo para mostrar ao mundo e ao Brasil que a região pode construir um novo modelo de desenvolvimento menos impactante.

`O programa Fogo conseguiu interagir com a comunidade local e reduziu muito o número de queimadas na região. Há quatro anos o aeroporto ficou 20 dias fechado. Hoje isso não acontece mais`, disse.

Em junho deste ano, os nove municípios mato-grossenses que fazem parte do programa tiveram 11 focos de calor para um total de 7.789 focos em todo o estado.

Nos primeiros 10 dias deste mês foram 159 focos para um total de 3.848 focos no Mato Grosso.Romoaldo contou que estará reunindo os prefeitos do Nortão durante a visita da ministra para entregar um documento onde reivindicam linhas de financiamento e subsídios para novos investimentos na região voltados para o desenvolvimento sustentado ou que evitem novos desmatamentos e queimadas.

`Fomos convidados para vir para cá e depois de muito tempo as regras mudaram. Agora o povo da Amazônia mato-grossense precisa de meios para sobreviver`, comentou.

O prefeito cita a necessidade de patrulhas mecanizadas para limpeza de áreas agricultáveis, incentivos fiscais para agroindústrias, fomento para a agricultura orgânica e irrigação para a fruticultura.

O presidente do CODAN - Conselho para o Desenvolvimento da Amazônia Mato-grossense, Valdemir Dobri, que também esteve presente durante a visita do embaixador, comentou que o Programa Fogo retirou os municípios da região do alto índice de queimadas no estado e conscientizou a população.

`Agora estamos nos integrando com o ICV - Instituto Centro de Vida que coordena o programa e conhecendo melhor as ações voltadas para o incentivo das atividades sustentáveis. Queremos que isso seja ampliado`, disse Valdemir.

O CODAN e o Programa Fogo estão preparando uma agenda de desenvolvimento que será apresentada à ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, no próximo dia 25 quando ela estará em Alta Floresta na abertura da Expoambiente Amazônia. Marina também é palestrante no Seminário de Negócios Sustentáveis, que acontece paralelamente à feira.

Fonte: Estação Vida

  
  

Publicado por em