Jornada se solidariza com greve de fome no Rio Grande do Sul e governo sinaliza com recursos

A Jornada de Agroecologia, que acontece em Ponta Grossa, PR, de 12 a 15 de maio, manifestou sua solidariedade para com os quatro agricultores e uma agricultora gaúchos em greve de fome há dois dias,acampados na sede do Incra, em Porto Alegre, e com as 900

  
  

A Jornada de Agroecologia, que acontece em Ponta Grossa, PR, de 12 a 15 de maio, manifestou sua solidariedade para com os quatro agricultores e uma agricultora gaúchos em greve de fome há dois dias,acampados na sede do Incra, em Porto Alegre, e com as 900 famílias que ocupam a fazenda Coqueiros, em Carazinho, RS,por meio de uma nota pública. O prazo determinado pela Justiça para a reintegração de posse da área vence no dia de hoje.

Às 11h30, as organizações que integram a Via Campesina no Rio Grande do Sul estarão concedendo entrevista coletiva para comentar os resultados das negociações com os governos federal e estadual e os próximos passos do movimento.

No dia 12/05, a conversa com os governos apontou para o repasse, por parte do governo federal, de 50 milhões de reais em regime de urgência e o empréstimo ao governo gaúcho para repassar mais 20 milhões e, com isso, assentar cerca de 600 famílias, o que varia de acordo com o preço da terra.

O assessor da Pastoral da Juventude Rural (PJR), Isnar Borges, presente na Jornada de Agroecologia,considerou importante a articulação de forças em todo o país, bem como o apoio das entidades e participantes da Jornada, como forma de pressão no sentido de evitar que a Brigada Militar do Rio Grande do Sul usasse de brutalidade e empregasse a violência no despejo das famílias sem-terra.

Fonte: Promotoras da Jornada de Agroecologia

  
  

Publicado por em