Jornalista gaúcho entrega `Formação & Informação Ambiental` para a ministra Marina Silva

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, receberá um exemplar do livro `Formação & Informação Ambiental – Jornalismo para Iniciados e Leigos` (Summus Editorial) das mãos de Roberto Villar Belmonte (jornalista gaúcho e um dos autores do livro) e de

  
  

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, receberá um exemplar do livro `Formação & Informação Ambiental – Jornalismo para Iniciados e Leigos` (Summus Editorial) das mãos de Roberto Villar Belmonte (jornalista gaúcho e um dos autores do livro) e de Sergio Vilas Boas (jornalista paulista e organizador da obra), no Paço Municipal, nesta
segunda-feira (07/6), por volta de 15h30.

A cerimônia marca o início da 20ª Semana de Meio Ambiente em Porto Alegre. À noite, às 19h30, Belmonte e Vilas Boas fazem o lançamento do livro no Solar Paraíso (Travessa Paraíso, 71 – Santa Tereza).

Em seguida, no mesmo local, Vilas Boas fará uma palestra sobre jornalismo narrativo, e Belmonte participará contando sua experiência em jornalismo ambiental. Com 208 páginas, o primeiro volume da coleção `Formação & Informação` traz textos de especialistas em meio ambiente: Regina Scharf, Eduardo Geraque, André Azevedo da Fonseca, Carlos Tautz, Odo Primavesi, além de Roberto Villar Belmonte.

O objetivo deste livro – referência imediata para universitários interessados em se especializar no tema meio ambiente – é provocar uma reflexão sobre os graves problemas ambientais que atingem a sociedade
contemporânea, como energia, água, alimentos, ecossistemas, empresas e cidades.

Sergio Vilas Boas contesta a idéia de que jornalismo é sinônimo de apenas noticiar. `Jornalismo são reportagens especiais (especiais mesmo), perfis, livros-reportagem, documentários audiovisuais, radiofônicos etc. A meu ver, o jornalista deveria ser também um ensaísta, e não um simples transmissor passivo de informações.

Esta coleção propõe que os jornalistas assumam responsabilidade em relação ao assunto sobre o qual tratam e ajudem a esclarecer, em vez de confundir.`

O organizador da coleção optou primeiro pelo tema ambiental porque acredita ser este o que mais exige `visão de conjunto`. `O meio ambiente mantêm afinidades com a política, a economia, a ciência e a cultura`, diz. `Quem cobre meio ambiente precisa compreender o todo, sem isolar as partes.`

Em vez de enfatizar discursos fatalistas, Sergio orientou os seis autores (jornalistas e não-jornalistas)a identificar os problemas mas também a apresentar soluções e alternativas viáveis. Ambiental põe em xeque o catastrofismo e conduz o leitor-telespectador-ouvinte-internauta a se conscientizar sobre o seu papel de construtor ativo da realidade.

`A imprensa não pode ser neutra quando se tratam de vidas. É preciso, ao contrário, ser mais educativa, o que não significa apelar para didatismos banais do tipo ‘faça isto, faça aquilo’. O importante é mobilizar consciências para uma lógica aparentemente simples: jornalistas especializados ajudam a formar públicos com uma atitude diferente em relação ao meio ambiente e à sua própria vida.`

O coordenador:

Sérgio Vilas Boas - Nasceu em Lavras (MG) em 1965, passando a infância e adolescência em Belo Horizonte. É jornalista formado pelo Uni-BH e mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP, onde também prepara atualmente sua tese de doutorado. Seu principal campo de interesse, pesquisa e trabalho é o Jornalismo Narrativo (ou Jornalismo Literário, sobretudo histórias de vida, biografias e perfis.

Autor de artigos, reportagens especiais, entrevistas, ensaios, perfis, contos e resenhas de livros nas mais diversas áreas, entre as quais política, educação,
administração, tecnologia, negócios e cultura.

Trabalhou no Diário do Comércio, de Belo Horizonte, época em conquistou dois prêmios: Prêmio Fiat Allis de Jornalismo Econômico 1996, pela série de reportagens sobre conflito de gerações em empresas familiares de Minas Gerais; e Profissional de Mídia do Ano em Comunicação Empresarial 1997, da Associação Brasileira de Jornalismo Empresarial (Aberj), pelo conjunto do trabalho desenvolvido. Em São Paulo, onde reside desde março de 1998, trabalhou na Gazeta Mercantil e na Folha de S. Paulo.

Além de contos publicados nas revistas E (do Sesc-SP) e Cult, é autor dos livros O estilo magazine (1996), Biografias & biógrafos (2002) e Perfis (2003), publicados pela Summus Editorial; e de Os estrangeiros do trem N (Rocco, 1997), obra que lhe valeu o Prêmio Jabuti 1998 na categoria Reportagem. Edita e coordena, com outros três
jornalistas-pesquisadores, o TextoVivo – Narrativas da Vida Real.

Os articulistas:

Roberto Villar Belmonte - Jornalista formado na Famecos/PUCRS em 1991. Cobriu para a Rádio Gaúcha as conferências da ONU Rio-92 e Habitat II, e apresentou por cinco anos o programa Gaúcha Ecologia. Foi assessor de comunicação do Pró-Guaíba de 2000 a 2002. Participou do I Seminário Internacional de Jornalismo Ambiental realizado na Suécia em 1998.

Atualmente é repórter da EcoAgência de Notícias, secretário geral do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul e um dos moderadores da Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental.

Regina Scharf - Jornalista especializada em meio ambiente, com passagens pelo jornal Gazeta Mercantil, revista Veja e Radio France Internationale (RFI). Desenvolveu projetos para diversas organizações não-governamentais (Instituto Ethos, Amigos da Terra, Instituto Ecofuturo, Instituto Akatu) e empresas (ABN Amro, Holcim, Grupo Algar, Alcoa).

Integra o Conselho do Greenpeace no Brasil. Recebeu, em 2002, o Prêmio Reuters-IUCN de Jornalismo Ambiental para a América Latina. É co-autora do livro Como Cuidar da Nossa Água (BEI Editora, 2003).

Eduardo Geraque - Jornalista e biólogo. Mestre em Oceanografia Biológica pelo Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, cursa atualmente o doutorado, na mesma universidade, pelo Prolam (Programa de
Pós-Graduação em Integração da América Latina). Seu tema de pesquisa é jornalismo e meio ambiente.

Há dez anos trabalha com o jornalismo. Passou pelas redações do Diário Popular (hoje Diário de S.Paulo) e pela Gazeta Mercantil, caderno `Fim de semana`. Atualmente é editor da Agência de Notícias on-line da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

André Azevedo da Fonseca – O jornalista André Azevedo escreveu diversas reportagens sobre cultura e meio ambiente urbano, especialmente patrimônio cultural. Com a série `Escombros da memória coletiva` conquistou menção especial no prêmio Estímulo à Cidadania, categoria Jornalismo, na Expocom/Intercom 2002. É colunista da revista digital NovaE.

Carlos Tautz - Jornalista formado em 1992 pela Universidade Federal Fluminense. Especializou-se em jornalismo ambiental na Fundação Reuters (Oxford, Inglaterra) em 1995 e em Jornalismo Científico pela Organização Ibero-Americana de Estados (Bogotá, Colômbia) em 1998.

Cobriu a Rio-92 pela revista Ecologia e Desenvolvimento (que editou em 2002) e a Rio+10 em Joanesburgo (África do Sul) pelo Jornal do Brasil em 2002. Em março de 2003 cobriu como freelancer o Fórum Mundial da Água (Quioto, Japão) para a EcoAgência de Notícias, Folha de S.Paulo e Pasquim, onde é colunista de meio ambiente.

Odo Primavesi – Único do time que não atua na imprensa. É engenheiro agrônomo, pesquisador científico da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Sudeste) e educador ambiental.

Serviço:

Livro: Formação & Informação Ambiental - Jornalismo para Iniciados e Leigos

Autor: Sergio Vilas Boas (organizador)

Editora: Summus Editorial

Número de páginas: 208

Preço: R$ 33,00

Fonte: Lu Fernandes Escritório de Comunicação

  
  

Publicado por em