Justiça obriga Monsanto a tornar público seu relatório sobre efeitos dos transgênicos

Um tribunal alemão determinou hoje em Colônia que a gigante da biotecnologia, Monsanto, publique um de seus relatórios confidenciais sobre o impacto do milho transgênico em ratos. A empresa tentou impedir a divulgação do documento de 1000 páginas, mas

  
  

Um tribunal alemão determinou hoje em Colônia que a gigante da biotecnologia, Monsanto, publique um de seus relatórios confidenciais sobre o impacto do milho transgênico em ratos.

A empresa tentou impedir a divulgação do documento de 1000 páginas, mas as atenções internacionais se voltaram para ele após informações publicadas pelo jornal britânico Independent On Sunday, no dia 22 de abril

O Greenpeace pediu para ter acesso ao documento com base em uma lei européia que garante que o público tem o direito de conhecer todos os documentos relacionados com a avaliação de riscos de plantas transgênicas.

Depois que as autoridades alemãs autorizaram o acesso ao documento, a Monsanto entrou com um processo legal contra o governo, numa tentativa de barrar a divulgação de seu conteúdo. Entretanto, o Greenpeace se uniu ao governo alemão neste caso e, com a decisão de hoje, o estudo original será disponibilizado para conhecimento público.

“Essa é uma vitória importante, tanto para o Greenpeace quanto para as pessoas. A estratégia da Monsanto de manter segredo e de não ter transparência em seus atos falhou. Agora o documento poderá ser objeto de investigações independentes”, disse Christoph Then, da campanha internacional de engenharia genética do Greenpeace.

O referido estudo sobre impactos nos ratos encontrou efeitos significativos no sangue e nos órgãos desses animais alimentados com o milho transgênico MON863, fabricado pela Monsanto.

Diversos cientistas em toda a Europa que viram o estudo expressaram preocupação sobre as implicações dessa variedade de milho na saúde e na segurança alimentar.

A multinacional não questiona a existência de conseqüências significativas sobre a saúde dos ratos, mas declara que os efeitos não foram causados pelo milho transgênico. No entanto, de acordo com a opinião de vários especialistas, as explicações da Monsanto não são suficientes para que as preocupações levantadas sejam apagadas.

Fonte: Greenpeace

  
  

Publicado por em