Laboratório de Produção de Moluscos está produzindo sementes de ostras em SC

Em funcionamento desde agosto deste ano, o Laboratório de Produção de Moluscos, situado no Centro Experimental de Maricultura da Univali - Universidade do Vale do Itajaí, no município de Penha (SC), atingiu seu objetivo, segundo o pesquisador e professor

  
  

Em funcionamento desde agosto deste ano, o Laboratório de Produção de Moluscos, situado no Centro Experimental de Maricultura da Univali - Universidade do Vale do Itajaí, no município de Penha (SC), atingiu seu objetivo, segundo o pesquisador e professor do Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar (CTTMar), Gilberto Caetano Manzoni, produzindo sementes de ostras para os maricultores da região centro-norte do Estado.

“O laboratório já distribuiu o primeiro lote de 140 mil sementes de ostras para 10 produtores do município e a nossa intenção, até o março do próximo ano, é entregar outras 500 mil sementes”, explicou Gilberto.

Apesar do crescimento da atividade nos últimos anos, a captura desordenada de sementes de mariscos nos costões está provocando redução da produção de moluscos no Estado. Para reduzir este impacto ambiental, o Laboratório da Univali vem trabalhando junto aos maricultores de Penha e outras regiões do Estado, oferecendo sementes de ostras para diversificar e continuar incrementando a produção catarinense de moluscos.

Em 1990, a produção de ostras em Santa Catarina era de 190 toneladas/ano, e esse ano atingiu mais de 12 mil toneladas. “Este rápido crescimento da atividade, associado a um manejo inadequado dos costões rochosos, vem provocando um impacto nos estoques naturais”, alertou o pesquisador.

O laboratório tem como objetivo principal incrementar e diversificar a produção em Santa Catarina e no país. O trabalho exige filtragem e esterilização da água, além da produção de microalgas para alimentar os moluscos, o que eleva os custos em até 30%.

“ Apesar disso, acreditamos que talvez esta seja uma alternativa para suprir a falta de sementes de mariscos que esta ocorrendo nos ambientes naturais”, disse Gilberto. O Laboratório da Univali deverá iniciar no próximo ano a produção experimental de sementes de vieira, da espécie Nodipecten nodosus.

“O domínio da produção de sementes desta espécie em Santa Catarina reforçará para o Estado uma posição de destaque tanto no Brasil, como na América do Sul”, destacou o pesquisador.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em