Lodo de esgoto reduz adubação de cafezal

O Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café, coordenado pela Embrapa Café, sediada em Brasília, vem desenvolvendo um método econômico e ecologicamente correto de adubação nitrogenada para a cultura cafeeira com a aplicação do lodo de esgo

  
  

O Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café, coordenado pela Embrapa Café, sediada em Brasília, vem desenvolvendo um método econômico e ecologicamente correto de adubação nitrogenada para a cultura cafeeira com a aplicação do lodo de esgoto.

Além do nitrogênio, vários outros nutrientes fornecidos pelos adubos químicos poderão ser parcialmente ou totalmente supridos com a incorporação do lodo na área cultivada.

De acordo com o pesquisador Ronaldo Berton, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), o lodo de esgoto poderá suprir em até 100% o nitrogênio requisitado pelo café, reduzindo os custos de adubação e os níveis de produtos químicos aplicados no solo.

A pesquisa é realizada com sucesso há dois anos, mas ainda requer estudos mais aprofundados, pois “as quantidades a serem aplicadas ainda precisam ser mais avaliadas para evitar o excesso de nitrato no solo”, explica Berton.

O Brasil consome anualmente cerca de 160 mil toneladas de nitrogênio para adubar os mais de 2 milhões de pés de café em produção, o que representa um gasto superior a R$ 340 milhões por ano.

A adubação nitrogenada das lavouras é uma prática comum entre os produtores, que costumam aplicar cerca de 80 quilos de nitrogênio por hectare cultivado.

O lodo também poderá substituir a adubação orgânica convencional feita durante a instalação do cafezal. O esterco de galinha tradicionalmente espalhado na implantação da cultura do campo é responsável por cerca e 28% do custo total da lavoura, percentual que pode ser marcadamente reduzido com o lodo.

O efeito ambiental é um outro importante diferencial gerado pela utilização deste resíduo rico em nutrientes não apenas no café, mas em vários setores da agricultura. Para produzir o lodo é preciso investir em estações de tratamento de esgoto. E esgoto tratado é sinônimo de rios e lagos preservados.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em

Luiz Carlos Andrade Junior

Luiz Carlos Andrade Junior

30/12/2008 11:31:03
Interessante porém as notícias não estão ricas na sua explicação. Que processo este lodo passara para não contaminar o solo? É possível o produtor rural gerar o próprio lodo sendo benéfico para natureza? Como? Se é tão bom, porque não ensacar o produto e vender? Nem todos tem acesso ao lodo. A matéria vai sair do estudo? há muito tempo se fala disto, esta parecendo demagogia.