Mato Grosso define destino de embalagens plásticas

O lixo que vem se acumulando nos rios, composto principalmente de garrafas Pet, está com os dias contados em Mato Grosso. No dia 30 de outubro, foi dado um passo importante na busca de soluções para o problema. É que a Assembléia Legislativa realizou Audi

  
  

O lixo que vem se acumulando nos rios, composto principalmente de garrafas Pet, está com os dias contados em Mato Grosso. No dia 30 de outubro, foi dado um passo importante na busca de soluções para o problema. É que a Assembléia Legislativa realizou Audiência Pública com vários setores da sociedade para discutir e aperfeiçoar a proposta feita pelos deputados João Malheiros e Sérgio Ricardo (PPS), que define uma política de reciclagem e destinação final de garrafas e embalagens plásticas.

Dentre as indagações e contribuições apresentadas pela platéia, composta de representantes do setor empresarial e produtivo e entidades de defesa do meio ambiente foi definida a formação de um Comitê Multi-setorial formado por representantes do segmento empresarial, governo e sociedade civil organizada para discutir o projeto, que tem como autor o deputado João Malheiros (PPS).

São objetivos do Comitê:

-Elaborar projeto para estimular programas de reaproveitamento de resíduos e de educação ambiental desenvolvidos sob parceria da iniciativa privada, Poder Público, ongs e sociedade;

-Gerar uma política de agregação de valores visando melhor aproveitamento ambiental e econômico dos resíduos, fomentando a cadeia produtiva ligada ao segmento plástico;

-Elaborar programas na mídia de educação ambiental; e Integrar ações entre os setores envolvidos.

A preocupação na verdade é com todos os tipos de lixo, mas o projeto dá atenção especial aos resíduos de PET porque inundam o pantanal com toneladas deste material a cada ano, sendo que este demora de 100 a 400 anos para se decompor.

`Precisamos mudar esta situação, pois hoje, além do peixe, o plástico também está virando presença constante no Rio Cuiabá e conseqüentemente no Pantanal`, afirmou Sérgio Ricardo.

De acordo com o parlamentar, a proposta vem em boa hora, pois vai permitir que se agregue valor a este resíduo até torna-lo tão procurado pelos catadores quanto o alumínio.Conforme dados apresentados por ele, Mato Grosso comercializa 400 toneladas de plástico de garrafas de refrigerante e 200 toneladas de plástico de óleos e produtos de limpeza.

Mas apesar de se ter estes números, não se sabe quanto disso é reciclado. O único controle que se tem é o da Coopemar - Cooperativa de Trabalhadores e Produtores de Materiais Recicláveis de Mato Grosso, que processa 20 toneladas deste resíduo por mês.

O projeto original de Malheiros estabelece um prazo de seis meses, a partir da aprovação da nova lei, para que as empresas recolham 30% das embalagens comercializadas, passando para 50% em 18 meses e 75% em 36 meses. Os empresários querem discutir esse prazo.

Segundo o representante da Fiemt, uma discussão mais ampliada poderá resultar em `um projeto mais próximo da realidade e mais aplicável`.Malheiros ressaltou que a mobilização de todos é muito importante para que o processo de destinação de plásticos caminhe a passos largos.

E a mobilização já começou. O setor de cosméticos já realizou reuniões com todos seus afiliados para definir prioridades bem como a prefeitura de Cuiabá (MT) já se colocou a disposição para ajudar.

O secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Francisco Vuolo, foi mais além e disse que a prefeitura da capital já criou o Programa de Desenvolvimento Econômico. O objetivo é atrair novos empreendimentos que tenham como prioridade impactar o menos possível o meio ambiente, além de gerar empregos e incrementar a economia do município.

A capital está de olho, principalmente, nas empresas recicladoras de plástico para que o produto ganhe valor e seja cada vez mais procurado para ser encaminhado à reciclagem.

A Fema - Fundação Estadual de Meio Ambiente, por sua vez, também contribuirá além de já ter criado a Política Estadual de Resíduos Sólidos, que só precisa ser regulamentada. Quem quiser conhecer a lei mais a fundo pode acessa-la pelo site da AL/MT. A lei é a de número 7862, de 19 de dezembro de 2002.

Fonte: Estação Vida

  
  

Publicado por em

Marcelo

Marcelo

23/08/2009 16:11:58
Parabens pela iniciativa do projeto, gostaria de saber mas sobre a reciclagem de plastico, pois, acho o tema muito importante e todos nos devemos nos preocupar-mos com a questao.