Metereologista afirma que a forte chuva do verão não é causada pelo El Niño

A chuva forte e em grande volume que ocorrem desde o final do ano passado em várias regiões do país principalmente nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul não foram causadas pelo fenômeno El Niño, embora ele esteja influenciando no clim

  
  

A chuva forte e em grande volume que ocorrem desde o final do ano passado em várias regiões do país principalmente nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul não foram causadas pelo fenômeno El Niño, embora ele esteja influenciando no clima do verão.

Segundo Gilvan Sampaio de Oliveira, Gerente de Operações Meteorológicas do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPetec), órgão ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Meteorológicas (Inpe), o El Niño não interfere na quantidade de chuva na Região Sudeste e no Centro-Oeste do país, apenas modifica a temperatura nos seus estados.

“Não temos confirmação científica de que o fenômeno tenha influenciado o regime de chuva nessas regiões. No verão, é comum chover pelo menos de 15 a 20 dias por mês ”, diz o metereologista.

O El Niño é o aquecimento das águas no Oceano Pacífico ao longo da linha do Equador. Esse aquecimento modifica a circulação normal da atmosfera gerando diversas conseqüências climáticas. Na região Sul do país o fenômeno provoca chuva excessiva, causando enchente em diversas localidades. Já na região Norte e Nordeste, a seca agressiva é o sintoma mais frequente.

Gilvan Sampaio diz que hoje o CPtec dispões de um super computadores de alta tecnologia que consegue prever a ocorrência do El Niño com antecedência de até 6 meses. Isto, segundo ele, permite aos técnicos antecipar os efeitos que o fenômeno ocasionará em todo o mundo. Atualmente o CPtec, instalado em Cachoeira Paulista, no interior paulista, é o único centro no Hemisfério Sul que tem esse equipamento.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em