Ministro sugere que só circulem em Fernando de Noronha veículos a alcóol

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, aproveitou o encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com representantes do setor sucro-alcooleiro na segunda-feira (26/5), no Palácio do Planalto, para sugerir aos usineiros a substituição dos carros

  
  

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, aproveitou o encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com representantes do setor sucro-alcooleiro na segunda-feira (26/5), no Palácio do Planalto, para sugerir aos usineiros a substituição dos carros a gasolina que circulam no arquipélago de Fernando de Noronha (PE) por veículos a álcool.

Rodrigues considera a proposta uma espécie de `projeto de turismo limpo`, que poderia contribuir para que a ilha seja um modelo mundial de utilização ecologicamente correta de uma matriz energética. Pela proposta, os empresários comprariam os carros a gasolina de Fernando de Noronha para trocá-los por automóveis movidos a álcool.

O presidente Lula brincou com os usineiros pernambucanos, dizendo que não tem dúvida de que eles poderiam bancar sozinhos essa mudança. `Não tenho dúvida de que Pernambuco vai assumir isso sozinho. Com a ajuda de Sergipe também`, continuou.

QUALIDADE :

O presidente Lula recomendou ao setor sulcro-alcooleiro que comece a trabalhar com a perspectiva de aumentar a produção de álcool, em razão de acordos internacionais que determinam a adoção de fontes de energia ambientalmente limpas no futuro.

Ele lembrou que, a partir do momento em que o mundo precisar misturar 10% de álcool à gasolina, será preciso que o Brasil produza `infinitamente mais` para conseguir atender a demanda internacional.

`Temos que trabalhar essa perspectiva. Não temos que sonhar pequeno`, afirmou.

Lula voltou a defender a posição de que o Brasil precisa mostrar ao mundo a qualidade do álcool. `Temos que dizer: Vocês que exigem que nós, do Terceiro Mundo, sejamos corretos ambientalmente, que não construemos indústrias para poluir o ambiente. Pois bem, nós queremos dar a nossa contribuição para que o mundo industrializado polua menos`, afirmou Lula.

O presidente da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo, Eduardo de Carvalho, aproveitou o encontro com Lula para ressaltar a necessidade do Brasil ampliar seu mercado exportador de álcool.

De acordo com ele, apenas o Brasil e os Estados Unidos produzem e consomem o produto e, por isso, o governo brasileiro não deve temer a concorrência.

`Temos os preços mais baixos do mundo. Trinta e seis por cento do açúçar negociado em todo o mundo é produzido no Brasil`, ressaltou.

Carvalho também comemorou a decisão do Ministério da Fazenda de restabelecer para 25% a mistura do álcool anidro. Ele acredita que o mercado sulcro-alcooleiro poderá crescer durante os quatro anos de Governo Lula em mais 6,5 milhões de toneladas de açúcar.

As perspectivas de aumento do uso de energia renovável nos Estados Unidos, Europa e Ásia nos próximos anos devem tornar o Brasil o maior exportador mundial de álcool. As projeções são de que os países europeus venham a consumir entre 19 e 20 bilhões de litros/ano do produto até 2010, e os EUA, cerca de 20 bilhões de litros/ano até 2014. Além disso, o Japão já manifestou interesse em importar álcool do Brasil para misturar à gasolina.

As informações são de Luiz Carlos Corrêa de Carvalho, designado nesta segunda-feira pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, como gerente do setor privado da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Açúcar e do Álcool do Consagro - Conselho do Agronegócio. Rodrigues presidiu a solenidade de instalação do órgão, que reúne representantes de todos os segmentos do setor sucroalcooleiro.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em