MMA define novas ações para unidades de conservação no Rio de Janeiro

O MMA - Ministério do Meio Ambiente fará um levantamento completo sobre as necessidades de infra-estrutura e de pessoal das dezoito unidades de conservação federais no Rio de Janeiro. A medida foi acertada durante reunião, em Brasília (DF), que envolv

  
  

O MMA - Ministério do Meio Ambiente fará um levantamento completo sobre as necessidades de infra-estrutura e de pessoal das dezoito unidades de conservação federais no Rio de Janeiro.

A medida foi acertada durante reunião, em Brasília (DF), que envolveu a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, o deputado Carlos Minc (PT/RJ) e representantes do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, da secretaria-executiva e da Diretoria de Áreas Protegidas do MMA.

Além desse trabalho, o Ministério do Meio Ambiente intensificará os esforços para cobrança da compensação ambiental, definida em no mínimo 0,5% sobre o valor de empreendimentos licenciados pelo governo federal, de acordo com a legislação vigente. Esses recursos auxiliariam a estruturar e consolidar áreas protegidas no Rio de Janeiro.

O Ministério também fará contato direto com cada um dos nove gerentes do Ibama ameaçados de morte naquele estado e encaminhará seus nomes à Secretaria de Direitos Humanos.

Na noite de 22 de fevereiro, o ambientalista Dionísio Júlio Ribeiro Jr. foi assassinado em local próximo à Reserva Biológica do Tinguá, no município de Nova Iguaçu (RJ).

Dionísio vinha sendo ameaçado por denunciar crimes ambientais na área de preservação, como a retirada ilegal de palmito e de areia. A reserva foi criada em 1989, possui 24,9 mil hectares e começou a ser estrutura há cerca de
um ano.

Fonte: MMA

  
  

Publicado por em