Mobilização pelas montanhas foi debatida no Fórum Social Mundial

O programa de mobilização nacional pelos ecossistemas de montanha, nascido em Itatiaia em 2002, realizou sua segunda oficina no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre. O encontro reuniu representantes de 11 organizações brasileiras, chilenas, francesas

  
  

O programa de mobilização nacional pelos ecossistemas de montanha, nascido em Itatiaia em 2002, realizou sua segunda oficina no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre.

O encontro reuniu representantes de 11 organizações brasileiras, chilenas, francesas e canadenses, que discutiram estratégias para a proteção das montanhas do Brasil.

O evento foi uma continuidade do seminário realizado dia 10 de dezembro de 2004, no Parque Nacional do Itatiaia, comemorativo do Dia Internacional das Montanhas, quando foi assinada a Aliança pelas montanhas brasileiras.

No Fórum, o documento recebeu novas adesões após ser realizada uma dinâmica sobre as montanhas. Todos os presentes apresentaram suas percepções sobre as montanhas: benefícios oferecidos, problemas existentes, ações realizadas e ações possíveis para a conservação desses ecossistemas.

Além do aumento da consciência sobre a importância das montanhas e as possibilidades de trabalho conjunto, as principais propostas resultantes da oficina foram: difundir a Aliança pelas montanhas; reforçar a necessidade de levantamento de dados sobre essas áreas, a ser feito pelo Ministério do Meio Ambiente e; fortalecer ação integrada por meio do fórum eletrônico.

O coordenador de projetos ambientais da ONG Crescente Fértil (Resende-RJ) e empreededor da Rede Ashoka, Luis Felipe Cesar, que organizou o encontro, também foi um dos animadores das Conversas de Rua sobre o tema “Bens comuns da Terra e dos povos”. A dinâmica é parte das atividades desenvolvidas pela Aliança por um mundo responsável, plural e solidário.

“Os objetivos foram plenamente atingidos com a ampliação do número de pessoas envolvidas pelo tema das montanhas, além de atingirmos segmentos sociais diversos com as conversas de rua sobre os nossos bens comuns”, finaliza o coordenador.

Fonte: AssCom Crescente Fertil

  
  

Publicado por em