Montadoras substituirão aço e alumínio por novos plásticos

O aço e o alumínio poderão vir a ser substituídos, com vantagens, na indústria automobilística, não apenas em termos econômicos mas também ecológicos. Trata-se de um novo procedimento desenvolvido pela empresa Esoro, que se valeu da transferência de tecno

  
  

O aço e o alumínio poderão vir a ser substituídos, com vantagens, na indústria automobilística, não apenas em termos econômicos mas também ecológicos. Trata-se de um novo procedimento desenvolvido pela empresa Esoro, que se valeu da transferência de tecnologia do Centro de Tecnologia de Estruturas, da Escola Politécnica Federal de Zurique (Suíça).

O procedimento em questão permite fabricar elementos plásticos reforçados por fibras e particularmente resistentes.A leveza da construção, na indústria automobilística, reveste-se de significado crescente, razão pela qual têm a preferência os materiais de baixa densidade e que apresentam rigidez e uma resistência específica alta.

Os materiais sintéticos reforçados por fibras têm o potencial necessário para satisfazer as exigências tanto mecânicas quanto funcionais.No reforço com fibras são utilizados dois tipos de plásticos.

Os denominados termoplásticos, cujo custo é mais baixo, a fabricação mais rápida e que apresentam a vantagem de serem reciclados com maior facilidade, e os chamados durômeros, que se caracterizam por terem propriedades mecânicas muito boas.

A primeira escolha para a produção automobilística recai sobre os termoplásticos reforçados com fibras longas, que serão utilizados na fabricação de elementos de superfícies amplas, destinados a suportar cargas importantes.

Os procedimentos usados na fabricação dos termoplásticos são bastante eficazes e suas propriedades atestam suas qualidades. E, como se não bastasse a alta performance dos mesmos, de quebra têm, ainda, um bom poder amortecedor.

Fonte: LQES News


  
  

Publicado por em