Motos deixarão de liberar gases tóxicos na atmosfera através do uso de catalisador

Em 1992, a produção de motos para o mercado brasileiro foi de 53 mil unidades. Após 10 anos, de acordo com a Abraciclo, associação que representa os fabricantes de motocicletas, a produção deste tipo de veículo saltou para 861.469 motos, sendo que 753.159

  
  

Em 1992, a produção de motos para o mercado brasileiro foi de 53 mil unidades. Após 10 anos, de acordo com a Abraciclo, associação que representa os fabricantes de motocicletas, a produção deste tipo de veículo saltou para 861.469 motos, sendo que 753.159 unidades foram destinadas ao mercado nacional.

Com o rápido crescimento do segmento, ocorreu no início deste ano a implantação da primeira fase do Promot (Programa de Controle da Poluição por Motociclos e Veículos Similares), que estabelece o limite de emissão de poluentes em 13 g/km para monóxido de carbono (CO); 3,0 g/km para hidrocarbonetos não queimados (HC) e 0,3 g/km para óxidos de nitrogênio (NOx).

`Este primeiro passo da legislação garante que as motocicletas produzidas desde o início do ano poluam menos em comparação aos modelos fabricados até 2002`, afirma Stephan Blumrich, gerente de Tecnologia de Aplicação e Industrial da Umicore.

De acordo com a Umicore, principal fabricante de catalisadores automotivos, com 60% de participação no mercado brasileiro, para que as motocicletas atinjam o reduzido nível de emissão de poluentes será preciso a incorporação de modernas tecnologias.

`Uma das soluções para as motos deixarem de liberar gases tóxicos na atmosfera é equipá-las com catalisador`, ressalta Carlos Eduardo Moreira, gerente de Marketing da Umicore.

A empresa já produz mundialmente o catalisador para motocicletas. Existem duas tecnologias principais. Para aplicações leves, a Umicore desenvolveu o Hot Tube. Trata-se de um tubo metálico perfurado que, com um revestimento catalítico, realiza a conversão dos gases emitidos pelo escapamento da motocicleta.

`O equipamento diminui significativamente as concentrações de poluentes provenientes dos motores das motocicletas, com a grande vantagem de ser simples e com quase nenhuma influência na condução dos gases no sistema de escape`, explica Blumrich.

A outra tecnologia é o catalisador monolítico. Este, similar ao equipamento utilizado nos automóveis, tem maior eficiência, devido à área superficial da peça ser muito maior.

Nos Estados Unidos e na Europa, a maioria das motos são equipadas com catalisador monolítico e, na Ásia, o Hot Tube tem inúmeras aplicações em motocicletas - a maioria de pequenas cilindradas.

`Com as duas tecnologias disponíveis, podemos desenvolver uma aplicação otimizada para cada moto no que se refere à atividade catalítica, perda de pressão e custos`, afirma Blumrich.

Fonte:Printer Press

  
  

Publicado por em