Nascimento de suposto segundo clone é questionado por especialistas

Especialistas levantaram dúvidas em torno das alegações sobre o nascimento de um segundo clone humano, que teria sido criado pela Clonaid, firma norte-americana fundada pelo movimento religioso Raeliano, para o qual a vida na Terra foi gerada por extrater

  
  

Especialistas levantaram dúvidas em torno das alegações sobre o nascimento de um segundo clone humano, que teria sido criado pela Clonaid, firma norte-americana fundada pelo movimento religioso Raeliano, para o qual a vida na Terra foi gerada por extraterrestres.

A diretora do Clonaid, Brigitte Boisselier, confirmou, no domingo (5/1), que um segundo clone, uma menina, nasceu na sexta-feira à noite e é filha de um casal de mulheres holandesas. A informação havia sido divulgada primeiramente por porta-vozes do movimento em Amsterdã, no sábado.

Em 26 de dezembro passado, a Clonaid, com sede em Las Vegas, havia surpreendido o mundo ao noticiar o nascimento do primeiro clone humano, a menina Eva, que Boisselier alegou ser filha de uma norte-americana de 31 anos.

Ex-química francesa, Boisselier, que ocupa o cargo de bispo na seita dos raelianos, disse que o segundo clone veio ao mundo por meio de parto natural e que sua mãe pretende criá-lo junto com sua parceira.

"Conversei com elas há poucas horas e elas estão muito, muito felizes", disse. "Tudo está indo bem e os médicos dizem que o bebê está bem". Entre os críticos do projeto do Clonaid, porém, o segundo anúncio só serviu para alimentar ainda mais as dúvidas sobre a veracidade do suposto nascimento dos clones. Isso porque, até o momento, a firma não deu qualquer prova que sustente suas alegações – nem mesmo uma fotografia das meninas.

Harry Griffin, chefe do instituto escocês Roslin, que em 1996 trouxe ao mundo a ovelha Dolly, o primeiro mamífero clonado, disse achar que tudo não passe de trote.

"A Clonaid já alegou dois nascimentos, mas não deu qualquer prova da existência dos bebês, nem provas resultantes de exames de DNA", sustentou.

"Não há motivos para acreditarmos que isso não passe de um golpe de publicidade". Para Alta Charo, biotécnica da Universidade de Wisconsin, os raelianos – que dizem ter 55 mil seguidores só nos Estados Unidos – estão pregando uma peça no mundo.

"Na falta de provas, não há bebê clonado", declarou Charo à CNN. "Não é assim que se faz a boa ciência. Isso é circo para a mídia". Charo acrescentou que o exame de DNA não representaria qualquer risco para o bebê.

"Ninguém pode fazer uma declaração deste tipo e dizer que as provas serão dadas mais tarde, e depois insistir em negar às pessoas a chance de comprovar tal alegação", disse. "Isso não é ciência". Boisselier rejeita as críticas.

"Há cientistas que já me disseram que sou louca de acreditar na teoria raeliana sobre a origem da vida", reage. "Minha credibilidade foi destruída nos últimos cinco anos. Então, não me importo se continuar destruída por mais cinco ou seis meses".

A Clonaid afirma ter uma lista de espera de 2.000 pessoas que querem pagar 200 mil dólares por um clone e diz que outros três bebês gerados da mesma forma que Eva virão ao mundo até o fim deste mês.

O ex-jornalista francês Claude Vorilhon, que se intitula o profeta Rael, fundou a seita em 1973, pregando que seres alienígenas pousaram na terra há 25 mil anos e deram início à raça humana por meio da clonagem. Para Rael, apenas a clonagem é a chave para a vida eterna.

Fonte: CNN

  
  

Publicado por em

Selvino Renato Barossi.

Selvino Renato Barossi.

30/12/2008 00:04:08
Hoje a Biotecnologia,podera avancar e criar,mais nós temos quer ter,a parte da celulas elluminet.,com alta pressição,e conhecimento do que estamos desenvolvendo,não sou contra, mais não podemos ser Hibridos.