Crise da água movimenta entidades científico-tecnológicas em São Paulo

Começa na manhã desta 5ª feira, dia 20/11, no Instituto de Engenharia, o Seminário Abastecimento de Água da Macro-Região de São Paulo: perspectivas a curto, médio e longo prazos,cujas recomendações finais, com visão para os próximos 30 anos, serão entregu

  
  

Começa na manhã desta 5ª feira, dia 20/11, no Instituto de Engenharia, o Seminário Abastecimento de Água da Macro-Região de São Paulo: perspectivas a curto, médio e longo prazos,cujas recomendações finais, com visão para os próximos 30 anos, serão entregues ao Governador Geraldo Alckmin.

Durante todo o dia, das 8h30 às 19h30, os especialistas das inúmeras entidades envolvidas discutirão a problemática da água; com especial ênfase à Grande São Paulo - região cronicamente mais afetada.

O POTENCIAL HÍDRICO A SER AINDA EXPLORADO

O encontro continuará na 6ª feira - 21/11 - com a apresentação de projetos, análises e debates acerca do potencial hídrico disponível, a ser explorado. Visando a solução do problema, serão discutidos :

-Plano Diretor de Abastecimento de Água da Região Metropolitana de São Paulo.

-Novos mananciais e limitações ambientais.

-Utilização das águas da Bacia do rio Ribeira de Iguape, no Vale do Ribeira, entre os Estados de São Paulo e do Paraná, para o abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo e do eixo Campinas-Sorocaba.

A coordenação do Seminário caberá ao engenheiro Júlio Cerqueira César Neto, presidente da Fundação Agência Bacia Hidrográfica do Alto Tietê. Falarão sobre os diversos temas os seguintes especialistas: engenheiros Ivanildo Hespanhol, José Eduardo Bevilacqua,Paulo Massato Yashimoto, Paulo Roberto Fares, Rubens La laina Porto, Edson Airoldi, Orlando Zuliani Cassetari e Fábio De Gennaro Castro; arquitetos Ricardo Toledo Silva e Monica Ferreira do Amaral Porto; geólogo Aldo da Cunha Rebouças.

COMUNIDADE TÉCNICO-CIENTÍFICA ORGANIZADA

A promoção do encontro, que proporá soluções ao Governo do Estado, é do Instituto de Engenharia por seu Departamento de Engenharia Ambiental e Energia sob a coordenação de sua Divisão de Engenharia Sanitária, criada em 1929, devidamente entrosada com as Divisões Técnicas de Estudos Ambientais e de Energia.

Segundo o diretor do Departamento, José Eduardo W.A. Cavalcanti, `o Instituto de Engenharia provoca a discussão do tema em Seminário aberto à sociedade civil e a técnicos do Governo para que, juntos, reestudem as alternativas de suprimento de água mediante novos mananciais, além de programas de minimização de água, controle de perdas e práticas de reuso`.

Participam do encontro a Fundação Agência Bacia Hidrográfica do Alto Tietê; ABEPPOLAR -Associação Brasileira de Ecologia e de Prevenção à Poluição das Águas e do Ar; ABES- Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental; AESABESP - Associação dos Engenheiros da Sabesp; APECS - Associação Paulista das Empresas de Consultoria e Saneamento; APEOP - Associação Paulista de Empresários em Obras Públicas;CREA - Conselho Regional de Engenharia,Arquitetura e Agronomia de São Paulo; Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê; Comitê da Bacia Hidrográfica do Piracicaba, Capivari e Judiaí; FUNDESPA - Fundação de Estudos e Pesquisas Aquáticas; NISAM-USP - Núcleo de Informações em Saúde Ambiental da Universidade de São Paulo;SABESP - Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo; SECOVI - Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de São Paulo; SINAENCO - Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura,Engenharia Consultiva;SINDUSCON - Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo; SINICESP - Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de São Paulo; UPADI - União Panamericana de Associações de Engenheiros e Governo do Estado de São Paulo.

Cavalcanti, lembrando a união e empenho das entidades do setor para efrentar a crise da água, ressalta que é imprescindível que os governantes tomem a si a responsabilidade de dotar o sistema de abastecimento com água em quantidade suficiente e com padrões de qualidade adequados,`visando o abastecimento da Grande São Paulo e seu entorno para os próximos 30 anos`.

PRIMEIRO ALERTA AO GOVERNO FOI DADO HÁ TRÊS ANOS PELA ABEPPOLAR E FIESP

No dia 15 de junho de 2.000 realizou-se no edifício-sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, na avenida Paulista, o Seminário A Crise da Água que alertou o País, com quase um ano de antecedência, sobre a gravidade da possível falta de água para fins de abastecimento e de geração de energia.

O evento foi promovido em conjunto pela FIESP e pela ABEPPOLAR - Associação Brasileira de Ecologia e de Prevenção à Poluição das Águas e do Ar. A tradicional instituição ambiental alertara em maio o empresariado sobre a gravidade da situação pelo que as instituições decidiram convidar o Governo do Estado a apresentar um plano de contingência para o enfrentamento da crise da água. Foi o primeiro alerta sobre o agravamento da situação que quase culminou com o apagâo`.

Este Seminário no Instituto de Engenharia seqüênciará na realidade aquele primeiro. Vários dos participantes daquele evento na FIESP estarão no Instituto de Engenharia nos dias 20 e 21.

SERVIÇO
Datas e horários : dias 20 e 21 de novembro de 2003, das 9h00 às 18h00

Local : Instituto de Engenharia - Av. Dr. Dante Pazzanese, 120 - Ibirapuera.

Fonte: Ausepress

  
  

Publicado por em