Escola de pesca do Rio de Janeiro formará 8 mil alunos até 2006

Até o final de 2006, a Escola de Pesca Estadual Ascânio de Faria, no Gradim, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, vai formar 8 mil alunos. A informação é do secretário estadual de Agricultura, Abastecimento, Pesca e Desenvolvimento do Interior, Christino Áu

  
  

Até o final de 2006, a Escola de Pesca Estadual Ascânio de Faria, no Gradim, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, vai formar 8 mil alunos. A informação é do secretário estadual de Agricultura, Abastecimento, Pesca e Desenvolvimento do Interior, Christino Áureo, que anunciou também estudos para a implementação de mais um curso ano que vem: o de Navegação.

Atualmente, a unidade já conta com aulas de Mecânica Naval, Culinária e Processamento do Pescado, tendo como disciplinas básicas Meio Ambiente e Informática Básica. Para Christino Áureo, treinar os pescadores e sua família, significa dar a eles uma melhor condição de desempenhar a atividade da pesca para obter, futuramente, uma chance de vida mais satisfatória.

`Pescar é uma atividade que vem sendo transmitida através de gerações.Entretanto, é preciso capacitar`, destacou o secretário, ao ressaltar que a pesca artesanal precisa ser modernizada, na medida em que, `se você não tiver um desempenho melhor do pescador quando ele sai para o mar, ou também nas atividades em que se processa o pescado, o resultado da atividade fica comprometido.

Além disso, é importante para o pescador também que ele tenha conhecimentos que o atualizem nesta realidade atual, como informática e, especialmente, meio ambiente`, completou Áureo.A escola, da Fundação Instituto de Pesca do Estado– órgão vinculado à secretaria de estado de Agricultura, Abastecimento, Pesca e Desenvolvimento do Interior–, funciona em parceria com a Fundação de Apoio à Escola Técnica– órgão da Secretaria estadual de Ciência e Tecnologia e Inovação –, oferece os cursos gratuitamente em dois turnos, manhã e tarde.

As aulas são ministradas de segunda a sexta-feira. Desde abril, quando a escola foi reinaugurada pelo secretário de Agricultura, Christino Áureo, já foram formados 180 alunos.

Para a professora de Processamento do Pescado, Mariluce da Silva Coelho, a reativação da escola foi extremamente positiva, não só para a comunidade do entorno, como também para pescadores vindo de outros municípios.

`Nosso objetivo aqui é ensinar a eles como agregar valor ao pescado, mostrando boas práticas de manipulação, em nível de higiene pessoal, dos equipamentos e da matéria-prima, além da conservação do pescado através da salga, defumação e baixas temperaturas`, disse Mariluce – Zootecnista, com pós-gradução em Controle e Qualidade de Produtos de Origem Animal: leite, carne ovos e pescado –, ao ressaltar que os alunos produzem hambúrgueres, salsichas, lingüiças de peixe, entre outros itens.

De acordo com Christino Áureo, a qualidade dos cursos oferecidos tem feito com que, a cada bimestre, mais interessados procurem a unidade.

`A equipe de profissionais é altamente qualificada e conta com biólogos, pesquisadores da Fiperj e profissionais de diversas áreas. Por estes e outros motivos, já se tornou uma referência no Estado inteiro`, observou o secretário de Agricultura. Há dez anos trabalhando no ramo de alimentação, Wilton Conceição de Oliveira, sabe bem a importância de se capacitar para a obter melhores resultados profissionais.

Dono de uma micro-empresa de filetagem, na Parada 40, em São Gonçalo, Wilton, mais do que ninguém, sabe valorizar a experiência adquirida na Escola de Pesca Estadual.`De cada tonelada de peixe que comprava, duzentos quilos iam para o lixo. Com o curso de processamento, pude ter noções de como aproveitar estes resíduos, na produção de lingüiças, salsichas, nuggtes e hambúrgueres`, destacou o empresário, que tem como funcionários sete pessoas de sua família.

Atualmente, Wilton vende 50 quilos filé de peixe, por semana, para cada um dos oito colégios estaduais em São Gonçalo que tem como clientes. `Tenho projeto de aumentar a produção com a aquisição de novas máquinas e, consequentemente, ampliarei o meu fornecimento`, ressaltou, otimista.

Fonte: Estação Vida

  
  

Publicado por em

ROBERT GEBHARDT DE OLIVEIRA

ROBERT GEBHARDT DE OLIVEIRA

01/02/2009 17:06:49
Capacitar pescadores e seus familiares é uma iniciativa espetacular. Parabeniso o governo pela iniciativa e imploro que multipliquem esta idéia, no bairro de SEPETIBA para atender a comunidade pesqueira da região que abrange Pedra de Guaratiba, Sepetiba, Itaguaí e aredores. Temos CIEPs ociosos à noite. Vamos defender esta ação. Em SEPETIBA tivemos um aumento populacional com a construção de 5.000 casa para os sem teto, no conjunto "NOVA SEPETIBA". Este povo carente precisa de uma "luz". Agradeço antecipadamente a divulgação desse pedido, principalmente junto aos deputados estaduais.

Sandra Monteiro

Sandra Monteiro

12/01/2009 11:53:51
Pezados estou elaborando um projeto de pesquisa para mestrado na UERJ sobre o tema que envolve "Praia da Luz " , agradeço qualquertipo de informação que me possa ser enviada.
atenciosamente,
Sandra

Fernando Braulio de Amorim Silva

Fernando Braulio de Amorim Silva

13/09/2008 11:30:47
É uma ação espetacular,capacitar os pescadores e seus famíliares dando a eles um auto sustento.Estou acompanhando algumas pessoas que moram na Praia da Luz,São Gonçalo onde existe uma carência muito grande tanto de conhecimento quanto finamceira estou tentando fazer algo para auxiliar este povo.