Fome de Água apresenta o `conhecimento `através da exposição fotográfica

O Fome de Água expõe de forma realista imagens que associam a seca, miséria e fome. Com abertura dia 15/01/2004, seguindo de 16/01 até 29/02/2004, no Centro Cultural Correios, Rio de Janeiro, a exposição associa fome, miséria e escassez de água como compo

  
  

O Fome de Água expõe de forma realista imagens que associam a seca, miséria e fome. Com abertura dia 15/01/2004, seguindo de 16/01 até 29/02/2004, no Centro Cultural Correios, Rio de Janeiro, a exposição associa fome, miséria e escassez de água como componentes do mesmo processo.

Idealizada pelo ambientalista, e fotógrafo, Henrique Cortez, a mostra pretende sensibilizar a população aos programas de desenvolvimento do semi-árido, erradicação da miséria e, em especial, o Programa Fome Zero. O Fome de Água oferece subsídios tanto para o maior entendimento das questões que afligem a região do agreste, como às discussões relativas ao Projeto de Transposição do Rio São Franscisco.

Ciente da importante contribuição do Fome de Água ao processo de conscientização social, a Câmara de Cultura organiza a exposição, tendo como curador o Arquiteto Heitor Derbli. Serão expostas 70 fotografias, imagens registradas a partir de expedição ao longo da Bacia do rio Piranhas-Açu, praticamente no coração do semi-árido.

Das 70 fotos programadas, cinco serão destinadas como referências visuais da atuação dos Correios, reconhecidamente a única instituição nacional com presença em todos os municípios.

Nascendo na Serra do Bongá, Paraíba, o rio Piranhas é o mais importante do Estado do Rio Grande do Norte. Represado pela Barragem Eng. Armando Ribeiro Gonçalves, forma um grande lago que abastece várias cidades da região, irrigando áreas de cultivo de frutas tropicais. Com a vazão da Barragem, o rio segue com o nome Piranhas-Açu. A Bacia Hidrográfica do Rio Piranhas – Açu será uma das receptoras na transposição do Rio São Francisco.

O convívio com a seca, o combate à fome e a erradicação da miséria são ações de médio e longo prazo que exigem compreensão do problema, conhecimento da situação atual e comprometimento com a execução de programas corretivos.

O Fome de Água é um importante passo, ofertando, em meio a falta, ou propriamente difusão de informações falsas e desconexas, o conhecimento necessário aos meios formadores de opinião para fechar a rede de compreensão do problema.

Ficha Técnica da Exposição Fome de Água:

Realização: Câmara de Cultura

Patrocínio : Correios

Curadoria : Heitor Derbli

Direção Geral : Regina Lima

Produção : Nadia Medella

Arquitetura e Design: Heitor Derbli Arquitetos Associados

Textos e Revisão: André Comber

Programação Visual: R&G Comber

Apoio Cultural:

Heitor Derbli Arquitetos e Associados

Centro Cultural Correios

Novamidia

Unimagem

Serviço:

Local: A exposição ocorrerá no Centro Cultural Correios, Rua Visconde de Itaboraí, 20, 3o andar – Centro, Corredor Cultural, Rio de Janeiro, RJ

Data: de 16 de janeiro até 29 de fevereiro de 2004. O Centro Cultural Correios funciona de terça-feira a domingo, das 12:00 às 19:00 horas com entrada franca.

Fonte: Organização do Evento

  
  

Publicado por em