Formação de futuras gerações: uma das soluções para proteger a água doce

Formação de futuras gerações: uma das soluções para proteger a água doce A partir de março, o projeto Caminho das Águas chega a 800 escolas brasileiras Dia: 13 de março de 2007

  
  

Formação de futuras gerações: uma das soluções para proteger a água doce

A partir de março, o projeto Caminho das Águas chega a 800 escolas brasileiras

Dia: 13 de março de 2007, às 18h30
Local: Hotel Blue Tree – Brasília - DF

Em março, quando se comemora o mês das águas, será apresentado, em Brasília, o kit do projeto de educação ambiental Caminho das Águas. Com material didático criado especialmente para o ensino fundamental, a iniciativa vai conscientizar os jovens para a importância da gestão dos recursos hídricos do país.

O lançamento contará com a presença da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva; do presidente da Agência Nacional de Águas – ANA –, José Machado; e do presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho. O evento vai contar ainda com a apresentação de um trio que dedica muitas de suas músicas à natureza: Sá, Rodrix e Guarabyra.

O projeto Caminho das Águas é uma parceria da Agência Nacional de Águas – ANA – e da Fundação Roberto Marinho. Orçado em R$ 1,7 milhão, prevê a distribuição de 1.600 kits com material educativo para 800 escolas públicas. Voltado para o ensino fundamental, especificamente alunos de 5ª à 8ª série, o projeto trata de assuntos como poluição e despoluição dos rios, usos múltiplos e governança da água, desenvolvimento sustentável e gestão ambiental dos ecossistemas aquáticos brasileiros.

O material educativo foca principalmente em quatro bacias hidrográficas: do rio Doce (que abrange os estados de Minas Gerais e Espírito Santo), dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (em Minas Gerais e São Paulo), do Paraíba do Sul (em Minas, São Paulo e Rio de Janeiro) e do São Francisco (que passa por seis estados: Bahia, Minas, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Goiás, além do Distrito Federal).

Essas bacias destacam-se por abastecer ou passar por grandes cidades brasileiras e por estar intimamente ligadas ao desenvolvimento econômico desses estados. Por isso mesmo, sofrem diretamente com poluição, assoreamento, erosão e desmatamento de matas ciliares. Pensando nisso, os kits educativos do Caminho das Águas serão distribuídos em instituições de ensino localizadas nas regiões prioritárias: isto é, aquelas em que a relação com estas bacias hidrográficas é mais próxima. Ao todo, serão oito estados brasileiros: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Pernambuco e Alagoas.

Inicialmente, será feita a capacitação de professores das disciplinas de Ciências e Geografia de todas as escolas beneficiadas. A partir daí, esses professores se tornam não só usuários do material didático, mas multiplicadores dentro de cada instituição de ensino e incentivadores do uso do material didático em outras disciplinas, que podem aproveitar o assunto de forma transversal.

O material educativo. Os kits poderão ser usados por diversas disciplinas dentro da escola, principalmente por professores de Ciências e Geografia. Cada kit educativo contém DVDs com programas criados pelo Canal Futura especialmente para o projeto. Além disso, também foram incluídos outros programas do Futura que também tratam do tema água. Complementam o material dois cadernos de orientação para os professores, um mapa das regiões hidrográficas brasileiras, um CD com músicas sobre o tema, um CD Rom com todo o conteúdo didático e mais um jogo de RPG criado para tratar do assunto de maneira divertida e educativa.

No entanto, a proposta do projeto é permitir que mais professores e instituições tenham acesso ao conteúdo do material educativo. Por isso, no dia 13 de março, também entra no ar o site do projeto. A idéia é que os interessados possam fazer download dos textos e até do RPG. Há ainda um jogo criado exclusivamente para a versão virtual do Caminho das Águas. Além disso, antes mesmo dos kits chegarem às escolas beneficiadas, alguns dos programas elaborados para o projeto já estão na programação do Canal Futura:

 Sala de Notícias em Debate – o programa foi exibido ao vivo no dia 1º de agosto de 2006 e contou com a participação de José Machado, diretor-presidente da ANA; Paulo Canedo, da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia (COPPE/UFRJ); e Jairo Lousa, representante do Conselho Nacional de Recursos Hídricos. O tema foi a criação dos comitês de bacias hidrográficas e a cobrança pela utilização da água.

 Globo Ecologia – foi criada uma série de quatro programas dedicada especialmente ao Caminho das Águas. Exibidos pela primeira vez em agosto deste ano, cada episódio destacou uma das quatro bacias hidrográficas trabalhadas pelo projeto.

 Globo Ciência – o programa também dedicou dois episódios ao projeto. No primeiro, destacou os problemas relacionados à poluição das águas e, no segundo, mostrou experiências que estão sendo estudadas para minimizar os problemas com a distribuição da água.

 De olho no ambiente – exibida desde novembro de 2006, a série de interprogramas, uma animação em 2D, foi especialmente criada para o projeto e focada nos estudantes de 1ª a 4ª série do ensino fundamental. Os interprogramas tem personagens curiosos, como camarões, sapos e tartarugas que habitam os rios e que, na série, são personagens de uma emissora de TV. A partir deles é que temas como saneamento, clima, fauna e saúde podem ser discutidos de maneira leve e divertida.

Fonte: Fundação Roberto Marinho


fonte: Assessoria de Comunicação – ANA

  
  

Publicado por em

Beatriz

Beatriz

07/05/2009 21:30:46
Nossa muito bom mesmo! Que pena que não posso ir! =/
Parabéns! Que Deus Continue abençoando mais e mais.

MYK

MYK

Grato pela solidariedade!
Isac Lemos da Silva

Isac Lemos da Silva

17/11/2008 15:55:10
É preciso ter em mente que todos nós somos responsáveis pelo meio ambiente. Infelizmente, pequenos produtores rurais como eu, que possuo um sítio de 10 hectares de terra e nela sobrevivem famílias que plantam, colhem e evitam de ir morar na cidade, não tem o devido valor por parte do governo como deveria ter. Plantei com recursos próprios 250 mudas de árvores nativas no sítio e preservo 04 minas dágua de 1 polegada cada para utilização na propriedade e de outras pessoas e até hoje não recebi nenhum incentivo para isso. Não existe, por parte do governo, uma linha de crédito capaz de ajudar o homem do campo, para manter um projeto simples desse, mas objetivo e consolidado, com resultado positivo para o meio ambiente. Isac.

MYK

MYK

Isac, obrigado pelo comentário. A importancia de atitudes como as suas deve ser sempre elogiada. Abraços.
Maysa

Maysa

19/10/2008 15:44:02
nao quis ler ,não me enteresou ,fui embora ,por favor

MYK

MYK

perdeu oportunidade. quam sabe numa proxima vez.
ANTÓNIO CALEMBE

ANTÓNIO CALEMBE

14/10/2008 13:30:25
CANA DAS VOSSAS MAE

MYK

MYK

A importância da preservação das águas sempre deve ser prioridade. Grato pelo comentário.