Gérard Moss está realizando a segunda campanha do inédito projeto Brasil das Águas.

Após sobrevoar durante 15 dias a bacia do Rio Paraná e coletar amostras de água em 100 pontos no interior de Minas, São Paulo e Paraná, avaliando problemas como a degradação do Médio Tietê e o desmatamento generalizado na beira dosrios, o aviador Gérard M

  
  

Após sobrevoar durante 15 dias a bacia do Rio Paraná e coletar amostras de água em 100 pontos no interior de Minas, São Paulo e Paraná, avaliando problemas como a degradação do Médio Tietê e o desmatamento generalizado na beira dosrios, o aviador Gérard Moss está realizando pela Região Centro-Oeste a segunda campanha do inédito projeto Brasil das Águas.

Em 2003, o Ano Internacional daÁgua Doce, decretado pela Organização das Nações Unidas (ONU), Gerard e suamulher, Margi, voarão mais de 100.000 km pelo Brasil (o equivalente a duasvoltas ao mundo) a bordo do Talha-Mar, um hidroavião anfíbio Lake Renegade 250especialmente adaptado e transformado em laboratório aéreo, contando comtecnologia de ponta para colher e analisar amostras d`água durante o vôo.

A segunda campanha do projeto começou na terça-feira (04/11), quando Gerard eMargi decolaram do Rio de Janeiro rumo a Brasília. O roteiro de vôos e coletas,de 6 a 21 de novembro, passa por cidades como Cuiabá e Cáceres (onde ocorrerá oFestival das Águas) e contempla os rios Araguaia e Xingu. Ao final da campanha,no dia 20/11, Gerard está programando um pouso especial de demonstração no LagoParanoá, em Brasília, seguido de entrevista coletiva para fornecer à imprensa e às autoridades do Governo detalhes sobre sua expedição ecológica e osresultados parciais das coletas.

O Brasil das Águas conta com o patrocínio master da Petrobras (fornecedora exclusiva do combustível), o co-patrocínio daEmbratel e tem parcerias com a Agência Nacional das Águas (ANA), a Cia. Vale doRio Doce e a Rede Globo.

Roteiro estimado da segunda campanha: Brasília (05 e 06/11); Xingu (07 e 08/11);Alta Floresta (9 e 10/11); Vilhena (11 e 12/11); Cáceres (13/11); Cuiabá (14,15, 16, 17/11); S. Felix do Araguaia (18 e 19/11); Brasília (20/11)

TECNOLOGIA

O Brasil das Águas se destaca também pela tecnologia envolvida no processo decoleta, análise e transmissão de dados. Através de um avançado Sistema deInformações Geográficas (SIG), combinação de software, hardware, imagens desatélite e bancos de dados, integrados ao site do projeto, é permitido a cientistas, estudantes e demais interessados na pesquisa não apenas visualizaras peculiaridades dos locais analisados, mas acessar gratuitamente dadosdetalhados sobre a expedição.

Através do SIG é possível navegar por imagens desatélite sobre o Brasil, visualizando dados geo-políticos, textos, gráficos,tabelas e fotografias, assim como os resultados preliminares das análises daágua.

Cada ponto de coleta é registrado em fotos aéreas realizadas pormicro-câmeras instaladas no avião, em imagens georreferenciadas por GPS.

PERFIL

Filho de um piloto de rali, engenheiro mecânico e empresário suíço que senaturalizou brasileiro, Gérard Moss iniciou sua vida de expedições aos 13 anos,quando foi da Suíça a Paris de mobilete. Um aperitivo na pré-adolescência paraas façanhas posteriores.

Nos anos 80, Moss chegou a correr de Formula Ford nocircuito europeu e participar de vários ralis, antes de morar num veleiro na Califórnia, no qual atravessou o Pacífico até o Havaí.

Num currículo onde figuram atividades como canoagem no Alasca, 13.000 km trilhas pelo sudeste africano, a escalada dos 5.890 m do Kilimanjaro e mais de 30.000 km rodados de Land Rover por lugares como o deserto africano, a Bolívia e a Patagônia, Gérardguarda hoje um lugar especial para a aviação. Acumulando mais de 3.000 horas devôo em monomotor, conheceu os extremos do continente americano e deu duasvoltas ao mundo.

Na última peripécia solitária, a volta ao mundo nummotoplanador, o aventureiro foi detido por oficiais vietnamitas por suspeita de espionagem, cruzou a Sibéria, enfrentou tempestades e foi escoltado por jatos F-15 japoneses.

No trajeto, além de registrar tudo o que viu em belasfotografias, aproveitou para colher dados sobre a poluição do ar, numa espéciede ensaio para a sua atual viagem científica.

Fonte: Media Guide Comunicação

  
  

Publicado por em