Marina Silva defendeu em Porto Alegre uso racional da água no País

A Vida em Debate foi o tema central do 1º Forum Internacional das Águas aberto na quarta-feira (8/10), no salão de eventos da Fiergs - Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul. Ao falar na abertura do evento, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva

  
  

A Vida em Debate foi o tema central do 1º Forum Internacional das Águas aberto na quarta-feira (8/10), no salão de eventos da Fiergs - Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul. Ao falar na abertura do evento, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, representando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, enfatizou a necessidade da conscientização individual para a conservação das reservas e do uso racional da água.

Lembrando uma experiência que viveu em 1999, como vice-presidente da Comissão de Combate à Pobreza, no Senado - que ela definiu como uma das cenas mais dramáticas de sua vida - no município de São José da Tapera, em Alagoas, onde assistiu uma família filtrando lama em um saco para poder beber a água, Marina Silva disse que o grande desafio ético é fazer com que a água de
qualidade, tanto para o consumo, quando para a produção, possa ser levada tambem às populações mais pobres.

`Esse não é o desafio apenas de uma comunidade, mas de todo a comunidade planetária. Por isso, é fundamental que se dê o exemplo individual e do ponto de vista local`, afirmou.

Marina Silva assinalou que hoje existe um déficit social de dois bilhões de seres humanos vivendo abaixo da linha da pobreza. `É para esses dois bilhões que precisamos, com pequenos exemplos, nas pequenas comunidades, nos municípios, estados e, no nosso país, fazer frente àquilo que o ministro Cristovam Buarque chama de exclusão, que leva à bifurcação da humanidade`.

O fórum, promovido pela ARI - Associação Riograndense de Imprensa, com o apoio do governo federal e o governo do estado, debateu até sábado (11/10) formas de preservação da água potável no planeta, com a busca da conscientiação para o uso racional, diante da perspectiva da falta de água potável, que deverá atingir três bilhões de pessoas em menos de 30 anos.

Estudantes

Mais de três mil alunos de escolas públicas estaduais de Porto Alegre participaram nesta quarta-feira da maior oficina do 1º Fórum Internacional das Águas, realizado no auditório Araújo Viana, na zona central da capital gaúcha, ao mesmo tempo em que ocorria a abertura oficial do evento, na Fiergs.

Foram apresentados shows musicais, peças de teatro, balé e debates sobre a importância da utilização racional da água, como o maior recurso não-renovável do planeta. Na oficina, os estudantes receberam duas publicações: a primeira, o livro `Água é Vida`, contendo os trabalhos premiados pela Secretaria Estadual da Educação no concurso de histórias em quadrinhos, promovido nas
escolas da rede pública estadual.

A segunda publicação entregue foi a revista infanto-juvenil `Aqüífero Guarani` - viabilizada através de parceria entre Secretaria da Educação, Secretaria de Obras e Saneamento, Assembléia Legislativa e Editora Pallotti -, que conta a história do maior reservatório de água doce do mundo, com passagens inclusive no Rio Grande do Sul.

O Aqüífero Guarani é a maior reserva subterrânea de água potável do planeta, com 1,2 milhão de quilômetros, sendo 70% em solo brasileiro e o restante na Argentina. Uruguai e Paraguai. No Brasil, atinge os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás e São Paulo.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em