Representantes das Américas discutem em Foz do Iguaçu o futuro da água

O objetivo é promover uma plataforma de discussão no sentido de fazer um diagnóstico da situação da política e gestão de recursos hídricos no continente e traçar propostas de políticas adequadas para fazer frente ao desafio das mudanças globais.

  
  

Uma boa gestão dos recursos hídricos, que garanta o abastecimento de água com qualidade para as gerações futuras, será o enfoque do Fórum de Águas das Américas, evento que reunirá em Foz do Iguaçu, entre 23 e 25 de novembro, representantes de 30 países.

Paralelamente, a Itaipu Binacional promoverá o encontro anual Cultivando Água Boa, programa socioambiental que é referência internacional nessa área e que tem entre seus resultados, por exemplo, a redução de passivos ambientais em 70 microbacias da Região Oeste do Paraná, em ações com intensa participação comunitária, que reúnem mais de 2 mil parceiros.

A abertura do evento será às 18 horas do dia 23 de novembro, no Hotel Rafain Palace, com a participação do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e de ministros dessa mesma pasta da Turquia, Guiana, Panamá, Paraguai e Uruguai, dos governadores da Bahia, Alagoas, Maranhão e Paraná, além do diretor-presidente da Agência Nacional de Águas, José Machado, dos diretores-gerais brasileiro e paraguaio da Itaipu, Jorge Miguel Samek e Carlos Balmelli, do diretor-presidente da Chesf, Dilton da Conti Oliveira, do presidente da Tribuna da Água da ExpoZaragoza, Eduardo Mestre Rodriguez, do presidente do Conselho Mundial da Água, Loïc Fauchon, senadores, deputados e outras autoridades.

A participação no Cultivando Água Boa é gratuita e as inscrições podem ser feitas no site da Itaipu (www.itaipu.gov.br). Serão oferecidas oficinas sobre gestão de bacias hidrográficas, agricultura sustentável, cultivo de plantas medicinais, gestão de resíduos, energias renováveis e edificações sustentáveis, entre outras. Será também uma oportunidade para os parceiros e participantes dos diversos projetos socioambientais avaliarem os resultados do programa e estabelecerem novas metas.

Já o Fórum de Águas das Américas é restrito a convidados de mais de 30 países. O evento trará profissionais ligados à gestão e política de recursos hídricos de governos, sociedade civil organizada, universidades e usuários de água. O objetivo é promover uma plataforma de discussão no sentido de fazer um diagnóstico da situação da política e gestão de recursos hídricos no continente e traçar propostas de políticas adequadas para fazer frente ao desafio das mudanças globais, em particular da variabilidade e mudança climática.

Durante o Fórum, os participantes avaliarão o desenvolvimento e o progresso que os países das quatro sub-regiões (América do Norte, América Central, Caribe e América do Sul) atingiram na última década em termos de políticas de água.

Documentos orientadores, especialmente elaborados e previamente discutidos nessas sub-regiões, serão apresentados e discutidos pelos participantes em quatro sessões plenárias. Essas discussões contribuirão para o documento preliminar das Américas, que será apresentado e discutido no segundo dia desse Fórum.

O encontro também servirá como preparação para o Fórum Mundial da Água, a ser realizado em março, na Turquia, que reunirá os documentos elaborados nos demais continentes.

Fonte: Itaipu Binacional

  
  

Publicado por em