WWF-Brasil realizou manifestação em favor de água para brasileiros

A ONG ambientalista WWF-Brasil realizou, no dia 5/6, pela manhã, um ato no Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, em defesa dos mananciais, das florestas e da promoção do acesso à água para brasileiros hoje excluídos desse direito universal. Uma torneira

  
  

A ONG ambientalista WWF-Brasil realizou, no dia 5/6, pela manhã, um ato no Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, em defesa dos mananciais, das florestas e da promoção do acesso à água para brasileiros hoje excluídos desse direito universal.

Uma torneira jogando água num balde inflável de quase 15 metros de altura foi montada ao lado do monumento que é um dos símbolos do país, para chamar a atenção da sociedade e dos governos.

As cidades enfrentam problemas crescentes e urgentes de fornecimento de água. Em todo o mundo, mais de um bilhão de pessoas não têm acesso à água tratada, e 2,4 bilhões não contam com serviços de coleta de esgoto.

Anualmente, 2,2 milhões de mortes, 4% das fatalidades mundiais, são atribuídas a essa causa. Esses números mostram a seriedade dos problemas que o mundo deve enfrentar em relação à água e as desigualdades que existem em relação ao seu uso.

`Nos países pobres e em desenvolvimento que enfrentam crises sociais e ambientais, a da água é sem dúvida a que mais pode afetar o bem estar social e trazer conseqüências imprevisíveis para o desenvolvimento das nações` diz Samuel Barreto, coordenador do Programa Água para a Vida, do WWF-Brasil.

No Brasil, esse cenário ainda não é diferente. Hoje, mais de 40 milhões de pessoas não tem acesso à água potável e 70% das internações hospitalares pediátricas são decorrentes de doenças de veiculação hídrica, como disenteria, hepatite, leptospirose etc.

As Metas do Milênio das Nações Unidas, que prevêem reduzir à metade o número de pessoas sem acesso à água, e os objetivos estabelecidos na Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento (2002), de reduzir também pela metade o número de pessoas que não contam com serviços de esgoto até 2015, dificilmente serão cumpridos.

`Por aqui, os governos precisam fazer a sua parte porque cortar os investimentos em saneamento ambiental como vem ocorrendo nos coloca numa dinâmica suicida e isso não significa economizar dinheiro.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, ao seguir essa receita, gastaremos de quatro a cinco vezes mais e da pior forma possível, com as pessoas doentes e internadas nos hospitais vítimas da água contaminada. Esse prejuízo social e econômico ainda não considera o custo da despoluição dos rios` afirma, Barreto.

A manifestação destacou também a necessidade de proteção dos corpos d`água e dos mananciais, assim como das áreas florestais que, se bem gerenciadas, podem trazer benefícios para a população urbana no que se refere a água potável de boa qualidade.

`É preciso que se chegue a uma equação que permita atender às diversas demandas de água pela sociedade e, ao mesmo tempo, garantir a proteção dos ecossistemas aquáticos. E nós achamos que isto é perfeitamente possível`, afirmou Sérgio Augusto Ribeiro, coordenador da Campanha Água para a Vida, Água para Todos.

O ato faz parte da campanha Água para a Vida, Água para Todos, que tem como focos principais a promoção do acesso à água, a proteção dos mananciais e o combate ao desperdício.

A campanha é conduzida pelo WWF-Brasil desde 2003, e tem como objetivo principal convencer governos e sociedade de que a água não é apenas uma mercadoria a ser consumida, mas um bem fundamental de suporte à vida e ao próprio desenvolvimento econômico do País e bem estar social. O Programa conta com o apoio do Grupo HSBC.

O WWF-Brasil é uma organização da sociedade civil brasileira, sem fins lucrativos, reconhecida pelo governo como instituição de utilidade pública. Criado em 1996 e sediado em Brasília, o WWF atua em todo o país com a missão de contribuir para que a sociedade brasileira conserve a natureza, harmonizando a atividade humana com a proteção da biodiversidade e com o uso racional dos recursos naturais, para o benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações.

Fonte: Assessoria de Comunicação WWF-Brasil

  
  

Publicado por em