Parque da Chapada dos Veadeiros busca garantir a reprodução do pato-mergulhão

O ninho está em um local onde se pode chegar a pé, o que deixa os ovos bastante vulneráveis. Até o barulho que os turistas normalmente fazem pode atrapalhar o processo de incubação.

  
  

O Cânion 2 do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Alto Paraíso, Goiás, permanece fechado ao acesso de turistas para permitir a reprodução do pato-mergulhão, uma espécie criticamente ameaçada de extinção. Uma fêmea botou dois ovos em um ninho no local e os filhotes devem nascer nos próximos dias. Até lá a área fica interditada. No entanto, as demais atrações do parque, cachoeiras, trilhas, corredeiras, continuam abertas aos visitantes.

A decisão de restringir a presença de visitantes foi tomada depois que analistas ambientais do Instituto Chico Mendes, que administra o parque, descobriram o ninho do pato-mergulhão num dos paredões de rocha do Cânion 2.

O ninho está em um local onde se pode chegar a pé, o que deixa os ovos bastante vulneráveis. Até o barulho que os turistas normalmente fazem pode atrapalhar o processo de incubação.

O chefe do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Daniel Borges, prevê que ainda este mês os filhotes deverão ter nascido e a área liberada. "Por ser uma espécie raríssima, preferimos não colocar a reprodução dela em risco", diz Daniel.

De acordo com estimativas de organizações ambientais, a população de patos-mergulhões é de aproximadamente 250 indivíduos. A espécie, já extinta na Argentina e no Paraguai - sobrevive apenas no Brasil.

O fechamento do Cânion 2 também atende ainda a fins científicos. O ninho no paredão rochoso é o primeiro encontrado dentro dos limites do parque nacional e será monitorado por pesquisadores da Fundação Pró-Natureza (Funatura) que desenvolvem plano de conservação financiado pela Fundação O Boticário.

"Como estamos em uma área de preservação, temos a obrigação de priorizar o pato em relação aos turistas", completa Daniel Borges.

Trilha:

O Cânion 2 faz parte do roteiro conhecido como "Trilha dos Cânions", que inclui o Cânion 1 e a Cachoeira das Cariocas. Borges reforça que o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros continuará aberto, apenas a região do Cânion 2 ficará isolada.

O período de reprodução do pato ameaçado de extinção coincidiu com a alta temporada de turismo na Chapada dos Veadeiros. Nesta época do ano, o número de visitantes do parque varia entre 100 e 150 pessoas por dia.

O processo de reprodução dos mergulhões (entre a fêmea colocar os ovos e os filhotes nascerem) dura em média dois meses. Depois que põe os ovos, a fêmea se mantém sobre eles praticamente o dia inteiro para aquecê-los. Enquanto isso, o macho fica de sentinela tentando evitar os predadores.

Fonte: Instituto Chico Mendes

  
  

Publicado por em