Rodovia ameaça animais da Chapada dos Guimarães

Durante 21 meses os técnicos da Unidade de Conservação (UC) registraram a morte de 74 animais pertencentes a no mínimo 26 espécies diferentes

  
  

Uma pesquisa realizada no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, revelou aumento do número de mortes de animais silvestres por atropelamento na Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), que atravessa o parque.

Segundo dados do Instituto Chico Mendes, autarquia que administra o parque, entre janeiro e julho de 2007 foi registrada a morte de 10 animais silvestres. Este ano, no mesmo período, 37 foram atropelados e mortos.

Durante 21 meses os técnicos da Unidade de Conservação (UC) registraram a morte de 74 animais pertencentes a no mínimo 26 espécies diferentes, incluindo aí uma espécie rara de canídeo, em toda a rodovia.

O maior índice de atropelamentos, contudo, ocorreu entre os quilômetros 51 e 55. Embora preliminar, o estudo evidencia também que a espécie com maior número de ocorrências é o cachorro-do-mato, com nove registros no período.

De acordo com informações da UC, a própria existência da rodovia é uma das principais razões dos problemas ambientais e de gestão que vêm ocorrendo na região. Desde que a equipe iniciou a pesquisa com o intuito de identificar os efeitos da MT-251 na unidade de conservação, foram registrados cinco problemas: atropelamento da fauna; incidência de focos de incêndios; erosão; entrada de infratores; e facilidade de acesso a regiões frágeis da UC.

Os técnicos identificam a necessidade de estudos mais aprofundados sobre o problema e a definição de medidas mitigadoras apropriadas para as condições locais, bem como o monitoramento da efetividade delas e realizar adaptações necessárias.

Fonte: Instituto Chico Mendes

  
  

Publicado por em