Lixo vira arte na exposição Memória Seletiva: Objetos Descartados em Nova Função, no Rio de Janeiro

A exposição acontece até sexta-feira, dia 26, no espaço EBA7, da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro

  
  

Até sexta-feira, dia 26, o espaço EBA7, da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, recebe a exposição “Memória Seletiva: Objetos Descartados em Nova Função”, de Leonardo Leoni.

O aluno recém-formado pela Escola de Belas Artes explicou que a ideia de usar o lixo surgiu da dificuldade em conseguir os materiais para a elaboração dos projetos da faculdade. “O material era muito caro, então fui adaptando. Não tinha certa tinta, eu usava pigmento, terra, cola. Assim, acabei estudando um pouco mais sobre essa questão da ‘cozinha’ da pintura. Dentro das próprias aulas, em Teoria da Pintura, aprendemos a elaboração dos materiais”, disse.

Na primeira exposição individual do artista a matéria prima utilizada vai desde telhas e madeiras ao papelão. Cada objeto exigiu de Leoni uma técnica específica. Nas telhas, ele usou a raspagem e a fuligem de vela foi utilizada com outros materiais.

Sobre sua arte, Leoni afirmou: “Na verdade, não transformo o material em outro. Apenas obedeço ao que ele tem a me oferecer ali, modificando o juízo de valores que as pessoas dão. Era lixo, mas agora é arte”, concluiu.

Serviço:

O espaço EBA7 fica na Avenida Pedro Calmon, 550, Edifício da Reitoria, 7º andar, no Rio de Janeiro. A entrada é gratuita.

Fonte: Danielle Jordan / Ambiente Brasil

  
  

Publicado por em