Biodiesel – Alternativa de energia limpa, econômica e renovável

“O motor Diesel pode ser alimentado com óleos vegetais e ajudará no desenvolvimento da agricultura dos países. Isto parece um sonho, mas no futuro posso predizer com inteira convicção que esse modo de emprego de motor diesel pode adquirir uma gra

  
  

“O motor Diesel pode ser alimentado com óleos
vegetais e ajudará no desenvolvimento
da agricultura dos países.
Isto parece um sonho, mas no futuro
posso predizer com inteira convicção
que esse modo de emprego de motor diesel
pode adquirir uma grande importância”.

Dr. Rudolf Diesel, em 1911

Quando pensamos em energias limpas e alternativas, logo surge na mente a idéia de revolução tecnológica, novidades e avanços científicos. Isto é fato, mesmo quando o assunto é biodiesel. A idéia de novidade parece fazer parte da tecnologia, mas não é o caso do combustível de biomassa como também costuma ser denominado.

Histórico

Uma retrospectiva histórica se faz necessária para que compreendamos a dinâmica geopolítica que envolve a questão do biodiesel. Rudolf Diesel inventou, em 1895, um motor que funcionava à base de uma variedade de óleos vegetais, essa foi a matriz energética utilizada pelo “pai do Diesel”.

O motor diesel não nasceu para o óleo diesel, o derivado de petróleo que conhecemos. Na realidade, o motor diesel nasceu e foi concebido para combustíveis mais baratos que aqueles usados até então, dentre os quais os óleos vegetais.

Rudolf Diesel apresentou sua invenção em 1900 na Exposição Universal de Paris. Ele utilizou óleo de amendoim como combustível e óleo cru, que era petróleo filtrado. O desenvolvimento do motor ciclo diesel foi simultâneo ao do derivado de petróleo, sujo e grosso, que ficou conhecido como “óleo diesel”.

Com o passar dos anos, o aprimoramento destes dois ingredientes, motor e óleo diesel, criou barreiras técnicas para a utilização do óleo vegetal (deposição de resíduos de carbono nos motores) e, por conta do ganho de escala da indústria petroquímica, os preços tornaram-se imbatíveis.

Em meados dos anos 70, devido aos choques mundiais (1973 e 1979) que elevaram muito o preço do petróleo, os óleos vegetais voltaram a ser pesquisados para servir como fonte de combustão para motores. Em virtude de sua utilização direta estar impossibilitada, passaram a ser utilizados como matéria-prima para obtenção de ésteres, grupamentos químicos muito parecidos com os hidrocarbonetos que formam o óleo diesel.

Os problemas climáticos e a contagem regressiva da disponibilidade dos recursos energéticos fizeram com que a comunidade política e econômica acordasse para a necessidade de investimento nas pesquisas de tecnologias renováveis para garantir a continuidade da vida no planeta Terra.

Composição

O biodiesel é produzido a partir de óleos vegetais, novos ou usados, gorduras animais, resíduos industriais e esgoto sanitário. Alguns destes insumos são triglicerídeos e outros são ácidos graxos.

Nem todo óleo vegetal, porém, deve ser usado para esse fim, porque algumas de suas propriedades podem ser inadequadas para a combustão. São possíveis fontes de biodiesel: semente de girassol, de mamona, de soja, de milho, de dendê, de pequi, e outras oleaginosas.

Outra fonte de óleo vegetal é a reutilização de óleos utilizados na fritura de alimentos, com a filtragem dos mesmos, já que perdem qualidade para consumo humano depois de um tempo de uso na fritura. O reuso é bastante utilizado na Europa e nos EUA.

O processo de transformação dos triglicerídeos em biodiesel chama-se transesterificação, que nada mais é que a separação da glicerina do óleo vegetal. Cerca de 20% da molécula de triglicerídeo é de glicerina, restam 80% de óleo puro. A glicerina torna o óleo denso e viscoso e, ao retirá-la, o óleo fica mais fino. A quantidade de glicerina que é extraída é substituída por álcool, que pode ser etanol ou metanol.

No caso dos ácidos graxos, a reação é de esterificação, e os sub-produtos são ésteres (biodiesel) e água, nas proporções de 80% de Biodiesel e 20% de água. Aqui, a água é substituída pelo álcool.

O sucesso das reações depende da capacidade em medir o pH, isto é, a acidez do óleo vegetal, para regular as doses adequadas de álcool, catalisador, ácido graxo ou triglicerídeo, e tempo de reação para cada produção.

O metanol é o álcool mais utilizado no mundo, em virtude de ser mais barato, e o de maior reatividade, mas sua escala de produção no Brasil é cerca de 40 vezes menor que a de etanol, e sua utilização requer cuidados maiores do que os demandados pelo etanol. De qualquer maneira, os dois álcoois atendem às especificações da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Aplicações

O biodiesel possui outras aplicações além de combustível: com a característica lubrificante, pode ser usado como óleo de limpeza para peças e máquinas, além de servir como solvente de tintas e adesivos químicos, ou ainda, no funcionamento de aquecedores, lanternas e fornos.

O produto secundário da produção é a glicerina, que pode ser utilizada na indústria de cosméticos na forma de sabonetes, cremes, shampoos, hidratantes, produtos de limpeza... Pode também servir na fabricação de tintas, vernizes, resinas e lubrificantes.

Outra característica da produção de biodiesel é que, depois de extrair o óleo das plantas oleaginosas, sobra a fração protéica, uma espécie de “bagaço” (detrito sólido, chamado de torta). Este material não precisa ser descartado, ele pode ser usado como alimento humano, ração animal, adubo orgânico na agricultura ou como combustível para caldeiras. Dessa forma, o biodiesel constrói um círculo biodinâmico de sustentabilidade. O bagaço e a planta oleaginosa liberam sódio, potássio, nitrato e cálcio, que são indispensáveis ao solo.

A plantação de oleaginosas permite também a nitrogenação do solo, que é uma forma de revigorar a terra, tornando-a mais fértil. Pode-se consorciar o plantio de outras culturas, aplicando um sistema rotativo agrícola, para recuperar o solo exaurido. Em função disso, as oleaginosas são “ferramentas” da agricultura.

Um outro detalhe importante do circuito biodinâmico é que, o gás carbônico produzido com a queima do biodiesel durante a sua utilização nos motores é recuperado pela fotossíntese da próxima safra de oleaginosas cultivadas, completando o ciclo da natureza de reciclagem e aproveitamento máximo dos recursos energéticos, fazendo jus a frase: “na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.

Quanto aos outros poluentes, as emissões do biodiesel são inferiores às do óleo diesel em 50%, quando analisado o material particulado, em 30% quando avaliados os aromáticos e em 98% quando tratamos do enxofre. O único grupo de poluentes que pode ser incrementado é o de óxidos nitrosos, que podem aumentar em até 13%, mas ainda assim permitiria a substituição de 9% de todo o óleo diesel consumido no país por biodiesel.

Vantagens

- Fonte de energia renovável;
- As plantas capturam todo o gás carbônico emitido na queima de biodiesel;
- Geração de empregos no setor primário da economia;
- O trabalhador rural permanece no campo evitando o inchaço das grandes cidades;
- Muito dinheiro é gasto na prospecção de petróleo (para trazê-lo à tona). Esses recursos financeiros poderiam ser direcionados para áreas sociais. O biodiesel não requer esse tipo de investimento;
- É confiável e fortalece a economia gerando mais empregos;
- É um excelente lubrificante, o que aumenta a vida útil do motor;
- É biodegradável;
- Não é tóxico;
- O risco de explosão é baixo, pois precisa de uma fonte de calor acima de 1500º Celsius para explodir;
- É de fácil transporte e armazenamento;
- É de fácil produção, além de ser seguro e sem grandes riscos para o Meio Ambiente;
- Reduz as importações de óleo diesel e petróleo;
- Permite a comercialização de créditos de carbono relacionados ao Efeito Estufa;
- O mercado internacional já consome mais de 2 bilhões de litros por ano.

PROBIODIESEL

Atento às inúmeras vantagens econômicas e sócioambientais do óleo vegetal sobre o derivado do petróleo, o governo federal instituiu, através de Decreto de 02.07.2003, um grupo de trabalho interministerial, coordenado por representante da Casa Civil da Presidência da República, para apresentar estudos sobre a viabilidade de utilização do biodiesel como fonte alternativa de energia, propondo, caso necessário, as ações necessárias para seu uso.

O objetivo da pesquisa do grupo – que contém representantes dos Ministérios da Fazenda; dos Transportes; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; de Minas e Energia; do Planejamento, Orçamento e Gestão; da Ciência e Tecnologia; do Meio Ambiente;
do Desenvolvimento Agrário; da Integração Nacional e das Cidades – é instituir, posteriormente, o Programa Brasileiro de Desenvolvimento Tecnológico de Biodiesel – PROBIODIESEL, que será coordenado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), através da Secretaria de Tecnologia Empresarial.

“Já existe uma pequena produção de biodiesel no país, mas desconhecemos a qualidade do combustível, por ainda não haver uma regulamentação institucionalizada. Com o PROBIODIESEL, o Brasil ganhará muito em termos ambientais, econômicos e sociais. Acreditamos que, se tudo correr bem, o programa entrará em vigor ainda esse ano” – afirma Cláudio Judice, Coordenador Geral de Políticas Setoriais do MCT. Segundo Judice, o relatório já está em fase de fechamento, e depende da aprovação da Presidência da República e alguns trâmites finais para ser colocado em prática.

O professor de Química Aplicada, Luiz Ramos, da Universidade Federal do Paraná, acrescenta que existe, na instância acadêmica, uma grande falta de investimento federal para a recuperação e incentivo de parcerias entre o setor universitário e o setor privado, para gerar uma maior viabilidade de desenvolvimento da pesquisa acerca do biodiesel, que já possui diversos grupos envolvidos, entre eles: Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade do Estado de São Paulo (USP), Coordenação de Programa de Pós-graduação em Engenharia (COPPE/UFRJ), Universidade de Brasília (Unb), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Universidade Estadual de Santa Catarina (UESC) e CEFET no Paraná.

Segundo Luciano Basto, Coordenador Executivo do Instituto de Mudanças Globais, IVIG/COPPE/UFRJ, a metodologia adotada pelo governo está retardando o processo de desenvolvimento do biodiesel no país: “Enquanto a recente publicação de uma especificação pela ANP é apenas o primeiro passo para a utilização de biodiesel no país, para o que será necessária a realização de testes de campo durante um ano, o mesmo produto, desde que especificado, pode ser exportado para a Europa e Estados Unidos e ser consumido imediatamente, sem a realização destes testes. Isto deveria ser considerado de maneira significativa na decisão do governo brasileiro sobre o programa de biodiesel, tanto para consumo interno quanto para exportação”.

À sociedade civil, resta torcer para que o PROBIODIESEL seja aprovado e institucionalizado o quanto antes, mas tudo vai depender, além dos trâmites legais, da possível resistência de forças políticas poderosas que possam se opor à implantação do biodiesel em larga escala no circuito comercial, como aconteceu durante o Pro-Álcool.

  
  

Publicado por em

Sophia abrao

Sophia abrao

31/01/2012 22:09:24
Gostei!

Bicarena

Bicarena

27/11/2011 14:05:19
Amei! O autor dessa página é muito criativo e informativo.

Naiane

Naiane

10/06/2009 21:37:52
gostei mto pq é mais eficiente ñ polui o meio ambiente e ñ causa doenças respiratórias.

Abraão Teles Copino Da Silva

Abraão Teles Copino Da Silva

08/04/2009 23:17:47
Gostei muito desses comentarios, só esta faltando falar um pouco mais do nosso Biodiesel, pois devemos da valor ao nosso sistema ?

Nicole

Nicole

12/11/2008 17:35:32
Adorei ele escreve bem sobre exatamente o q eu pesquizei!!!Vlw até mais pessoAL,Bjs!!!

Daiane D. Nascimento

Daiane D. Nascimento

01/11/2008 20:20:43
um texto muito completo, com informações concretas que concerteza irão ajudar na adição de conhecimento de qualquer pessoa.(resumindo,da hora meu!!!seu taxto é to0!!!)

Beatriz Vieira

Beatriz Vieira

04/10/2008 20:22:42
Gostei, e para quem acha que deve ser resumido, esta errado, pois vc deve se esforçar para ganhar a nota, e não so copiar e colar.. ;D
mto bom parabéns !
Ah reclamações sobre meu comentário ?

→ bibi_lorinha@hotmail.com

bezúh

Pamela

Pamela

23/09/2008 08:38:42
eu gostei sim...axo q vai me ajudar na minha pekkisa da escola....valeu...mas axo q vcs poderiam resurmir mais os textos...mas gostei...s2...

Paulo

Paulo

04/09/2008 09:07:28
acho muito bom ganhei uma boa nota na pesquisa

Luana

Luana

27/08/2008 12:27:27
vou dizer meu comentario depois da minha nota na escola! POis meu trabalho depende disso!
Bjokas...

Máah Barbooosa

Máah Barbooosa

22/08/2008 13:43:14
Boom , esse site , estáa SUPER em diia pôo . Ameei !
x]

Beeijo ;]