Cuidado: mordidas de animais peçonhentos aumentam na época de calor

Entre os meses de dezembro e março, período quente e chuvoso, os acidentes com animais peçonhentos crescem cerca de 30%. Por isso, o Instituto Butantan recomenda alguns cuidados para evitar surpresas desagradáveis e riscos à saúde

  
  
Diferentemente do que se costuma ouvir, em caso de acidente com animal peçonhento não se deve amarrar o local do ferimento. Essa prática, além de não evitar a disseminação do veneno, pode ocasionar necrose dos tecidos no local

Entre os meses de dezembro e março, período quente e chuvoso, os acidentes com animais peçonhentos crescem cerca de 30%. Por isso, o Instituto Butantan recomenda alguns cuidados para evitar surpresas desagradáveis e riscos à saúde.

Diferentemente do que se costuma ouvir, em caso de acidente com animal peçonhento não se deve amarrar o local do ferimento. Essa prática, além de não evitar a disseminação do veneno, pode ocasionar necrose dos tecidos no local.

Em caso de picada de cobras, por exemplo, é recomendável lavar o local afetado somente com água e sabão; e não passar nenhum outro produto ou medicação. Quanto à ferroada de escorpião, a primeira coisa a fazer é compressas de água morna sobre a ferida. Essas medidas ajudam a aliviar a dor até a chegada ao serviço de saúde mais próximo. Já em caso de picadas de aranhas e queimaduras de taturanas é importante não mexer no ferimento e procurar atendimento médico imediatamente.

Para evitar estes acidentes, alguns cuidados básicos devem ser adotados, como manter limpos quintais, jardins e terrenos baldios, não acumular entulho e lixo doméstico; aparar a grama dos jardins e recolher as folhas caídas; vedar soleiras de portas com saquinhos de areia ou friso de borracha, colocar telas nas janelas, tapar ralos de pia, tanque e de chão com tela ou válvula apropriada; colocar o lixo em sacos plásticos e fechá-los para evitar baratas, moscas e outros insetos, que são alimentos prediletos de escorpiões; examinar roupas, calçados, toalhas e roupas de cama antes de usá-las; andar sempre calçado e usar luvas de raspa de couro ao trabalhar com material de construção, lenha, etc.

Serviço médico
“É fundamental que as pessoas sigam essas recomendações em casos de acidentes com animais peçonhentos e procurem, quanto antes, o serviço médico mais próximo. Isso garantirá o diagnóstico precoce e tratamento eficaz”, alerta o biólogo Giuseppe Puorto, diretor do Museu Biológico.

O Hospital Vital Brazil mantém o telefone (11) 2627-9529 para orientação em casos de emergência e acidentes com animais peçonhentos. O serviço funciona 24 horas e orienta a população sobre o local mais próximo para atendimento. No site www.butantan.gov.br também há dicas de prevenção.

O que fazer em caso de acidente

• Lavar o local da picada apenas com água ou com água e sabão;
• Dar bastante água à vítima para manter a hidratação;
• Procurar o serviço médico quanto antes.

O que não fazer em caso de acidentes

• Não fazer torniquetes, ou seja, não amarrar o local para evitar a circulação sanguínea;
não cortar ou furar o local da picada para tentar extrair o veneno;
• Não passar produtos como manteiga, cremes ou outras substâncias gordurosas no local do ferimento;
• Em caso de aparecimento de algum animal peçonhento, não tentar removê-lo sem a ajuda de profissional qualificado.

Fonte: Governo de São Paulo

  
  

Publicado por em

Carol

Carol

08/02/2014 16:44:49
Gostaria que coloca-se assuntos sobre mordeduras de tubarão.