Música irá invadir todos os continentes para salvar o planeta no dia 7 de julho

Por Paula Scheidt, do CarbonoBrasil Seguindo a fórmula usada por Bob Geldof em 1985 e 2005 ao promover mega shows com estrelas do Rock mundial em uma ação contra a fome, Al Gore anunciou recentemente a realização do Live Earth, uma série de concert

  
  

Por Paula Scheidt, do CarbonoBrasil

Seguindo a fórmula usada por Bob Geldof em 1985 e 2005 ao promover mega shows com estrelas do Rock mundial em uma ação contra a fome, Al Gore anunciou recentemente a realização do Live Earth, uma série de concertos musicais em nome do meio ambiente simultaneamente em todos os continentes do mundo. O ex-vice-presidente americano mundialmente famoso pela luta contra o aquecimento global espera salvar o mundo em um dia dedicado para chamar a atenção para a questão das mudanças climáticas.

O evento será realizado no dia 7 de julho em Shanghai (China), Johannesburg (África do Sul), Sidney (Austrália), Londres (Reino Unido), Tóquio (Japão), Nova York (EUA), Hamburgo (Alemanha), Instambul (Turquia) e Rio de Janeiro (Brasil). No lançamento, Al Gore mencionou eufórico que aconteceriam também na Antártida.

"Para resolver a crise climática, temos de chegar a milhares de milhões de pessoas. Estamos lançando "SOS" e o "Live Earth" para começar um processo de comunicação que mobilizará pessoas no mundo inteiro com o fim de que comecem a agir", disse Al Gore.

Apesar do alvoroço causado pela notícia, neste sábado a lenda do rock Roger Daltrey, vocalista do The Who, questionou a ação levantando uma polêmica: até que ponto vale a pena investir nesta fórmula para promover a questão das mudanças climáticas. Daltrey afirmou ao tablóide inglês The Sun que uma idéia melhor seria "queimar todo o petróleo" para forçar os líderes mundiais a acharem logo uma solução. "A última coisa que o planeta precisa é um concerto de rock", disse.

"Temos problemas com o aquecimento global, mas as perguntas e as respostas são tão grandes que eu não sei o que um show de rock pode fazer para ajudar", afirmou.

Al Gore reconhece, no entanto, que astros do rock por si só não irão salvar o mundo. "Corporações e governos devem se tornar líderes globais na tomada de decisões para parar o aquecimento global", comentou.

O autor do vencedor do Oscar deste ano como melhor documentário "Uma verdade inconveniente" se preocupou em fazer com que o evento seja ambientalmente correto. Para isso, os responsáveis pela organização do Live8 em 2005, Kevin Wall e Harvey Goldsmith, irão trabalhar em conjunto com John Picard, uma especialista em sustentabilidade e ex-membro da força tarefa ambiental da Casa Branca no governo de Clinton.

A eletricidade que será utilizada, em vasta quantidade por sinal, virá de geradores a biodiesel e outras fontes renováveis. Os vendedores de comida e bebidas serão instruídos para adquirir plásticos biodegradáveis como os feitos de milho. Um sistema completo de reciclagem de lixo também é prometido para cada local de evento.

Entre as cerca de 100 estrelas que irão participar estão Madonna, Genesis, Bon Jovi, Red Hot Chili Peppers, Etheridge, Foo Fighters, Lenny Kravitz, Sheryl Crow, John Mayer, Duran Duran, Korn, Black Eyed Peas, Akon, Enrique Iglesias, Faith Hill, Snoop Dogg, Black Eyed Peas, Lenny Kravitz e Snow Patrol. O Live Earth terá duração de 24 horas e será transmitido ao vivo em 120 países.
(Envolverde/Carbono Brasil)

 

Fonte: Revista Envolverde 

  
  

Publicado por em