O futuro dos biocombustíveis é tema de encontro na Ecolatina

O Fórum Brasileiro sobre Energias Renováveis, que acontece no dia 19 de outubro, durante a 7ª edição da Ecolatina, pretende discutir um tema recorrente entre especialistas ambientais e autoridades: os biocombustívei

  
  

O Fórum Brasileiro sobre Energias Renováveis, que acontece no dia 19 de outubro, durante a 7ª edição da Ecolatina, pretende discutir um tema recorrente entre especialistas ambientais e autoridades: os biocombustíveis. O assunto é de vital importância para que um programa consistente e “politicamente correto”, que estimule a produção e consumo de fontes de energia renováveis, decole de vez no País.

O que se espera do encontro é que sejam elucidados alguns questionamentos em relação ao plantio da cana de açúcar e os incentivos para o setor agrícola, como o tipo de estratégia a ser adotada pelo Governo no que se refere à geografia do plantio e se haverá definição quanto à certificação sócio-ambiental para estimular a exportação do etanol.

Por outro lado, espera-se também que alguns mitos possam ser derrubados como, por exemplo, se a floresta amazônica será tomada por plantações de cana e se as áreas de plantio de alimentos serão substituídas para a produção do etanol. Muitas diretrizes precisarão ser esclarecidas, até mesmo perante os críticos internacionais. A produção de oleaginosas como matéria-prima de energia renovável também ganhará espaço nos debates.

Entre os palestrantes, estarão José Silva Soares, coordenador do Fórum e presidente da Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer) e da Empresa Mineira de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater); José Walter Bautista Vidal, físico e criador do Pró-Álcool; Gilman Viana Rodrigues, secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, entre outros.

Para José Silva Soares, se os envolvidos nos debates saírem do evento com uma definição sobre qual o papel a ser desempenhado pelo Governo, mercado e sociedade no contexto do aproveitamento das energias renováveis, meio caminho terá sido percorrido em direção a fomentação do programa de biocombustíveis brasileiro. Segundo Soares, este é o grande nó que poderá desatar a produção nacional.

“O Brasil tem tudo para ser uma potência mundial na produção de energias renováveis, mas, para isto, teria que mudar toda a sua logística. Precisaríamos também de grandes investimentos em corredores de exportação”, advertiu Soares.

Como exemplo, ele afirma que se o Japão decidisse hoje utilizar o álcool brasileiro como combustível alternativo, o país teria que triplicar sua produção. “Falamos muito em álcool, mas não podemos perder de vista também o biodiesel feito a partir de oleaginosas”, comenta.

O secretário municipal de Café e Agricultura de Varginha (MG), Joadylson Barra Ferreira, é taxativo ao afirmar que o Brasil não pode no futuro cometer o erro de querer ser exportador de matéria-prima.

Segundo ele, o País tem capacidade de ser exportador do próprio biodiesel. Disse ainda que o trabalho que vem sendo realizado na Usina de Biocombutíveis de Varginha vai de encontro ao tema central da Ecolatina, uma vez que a mamona é seqüestradora de CO2. Mas reconhece que hoje o preço desta matéria-prima é incompatível para que a mesma seja utilizada no biodiesel.

“Outras matérias-primas de baixo custo estão sendo utilizadas para minimizar o impacto de emissões de poluentes no meio ambiente”, informou.

O tema energias renováveis ganhou eco nos últimos anos porque, socialmente, sua produção contribui para a fixação do homem no campo e é fonte alternativa de empregos diretos e indiretos. Não bastasse, o meio ambiente urbano é beneficiado com a redução da emissão de gás carbônico, redução do efeito estufa, redução da emissão de óxidos de enxofre e hidrocarbonetos e redução da emissão de fuligem e fumaça. Em suma, o biodiesel é mais biodegradável que o diesel, retira gás carbônico da atmosfera e é 100% renovável.

Ecolatina

A Ecolatina 2007 – Conferência Latino-Americana sobre Meio Ambiente e Responsabilidade Social acontece entre os 17 e 19 de outubro, no Minascentro, em Belo Horizonte (MG). Especialistas, executivos, lideranças e autoridades ambientais do país e exterior irão debater e propor soluções para um dos mais graves problemas da sociedade nos últimos anos: o aquecimento global.

Serviços

Evento: 2º Fórum Brasileiro sobre Energias Renováveis / 7ª Ecolatina

Data: 19 de Outubro de 2007

Local: Minascentro – End. Av. Augusto de Lima, 785. Belo Horizonte

Inscrições e informações pelo site www.ecolatina.com.br

Fonte: Press Comunicação

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em