ONG desenvolve projeto para prevenir danos causados pelo pré-sal no litoral paulista

O Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais (Polis) está desenvolvendo um projeto para prevenir danos causados pelo pré-sal no litoral de São Paulo

  
  
Até o momento, o projeto, denominado Litoral Sustentável, fez um diagnóstico da situação atual de 13 municípios do litoral paulista, dados que servirão de base ao programa que deverá ser concluído até o fim de 2013

O Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais (Polis) está desenvolvendo um projeto para prevenir danos causados pelo pré-sal no litoral de São Paulo. A organização não governamental (ONG) está mapeando os possíveis impactos que a chegada dos investimentos na indústria petrolífera local pode acarretar e pretende mobilizar a sociedade local para discuti-los.

De acordo com o coordenador-geral do Instituto Polis, Nelson Saule Junior, responsável pelo projeto, o objetivo é construir um programa intermunicipal com ações preventivas em relação ao crescimento populacional, à nova dinâmica imobiliária, à preservação do meio ambiente e à ocupação do território.

Até o momento, o projeto, denominado Litoral Sustentável, fez um diagnóstico da situação atual de 13 municípios do litoral paulista, dados que servirão de base ao programa que deverá ser concluído até o fim de 2013.

“Cubatão é um parque industrial já desenvolvido, desde os anos 1970, e boa parte da população não é incorporada a esse parque industrial. Esse é dos grandes desafios, o desenvolvimento econômico. [Pretendemos analisar] se esse crescimento [com a chegada do pré-sal] não vai gerar situações similares com as que já ocorreram”, diz Saule.

Outra questão levantada pelo projeto é a expansão das cidades afetadas pelos novos investimentos. “Para onde elas vão expandir, se não serão direcionadas na perspectiva de atender aos interesses mais da dinâmica do mercado imobiliário, ou se vai ser possível estabelecer um processo de preservação”, destaca o coordenador do Polis.

Saule ainda ressalta que o sistema de mobilidade local também é motivo de preocupação, já que novas vias de acesso ao litoral paulista deverão ser construídas. “Foi a partir da abertura da rodovia [Rio-Santos] que começou toda essa expansão e o crescimento daquela região, por sinal, de forma desordenada”.

O projeto, que é aberto à discussão com a sociedade, pode ser encontrado em www.litoralsustentavel.com.br

Fonte: Agência Brasil - Governo Federal

  
  

Publicado por em