Viaje quase de graça com Milhas Aéreas

Notícias > Ambiente > Nosso Planeta > 

Turismo em discussão na Conferência de Alterações Climáticas

O Secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, José Evaldo Gonçalo, representante do ministério do Turismo, participou da 2° Conferência Internacional de Alterações Climáticas,

19 de Novembro de 2007.
Publicado por Vininha F. Carvalho  

O Secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, José Evaldo Gonçalo, representante do ministério do Turismo, participou da 2° Conferência Internacional de Alterações Climáticas, em Davos, na Suiça. O objetivo foi apresentar e discutir as ações que podem ser implementadas no setor de turismo para combater o efeito estufa.

Após os debates sobre a situação global, foi aprovado o Plano Climático, que prevê a redução de 30% dos gases responsáveis pelo efeito estufa até 2020.

Segundo pesquisa apresentada na reunião, o turismo mundial é responsável por 5% desses gases. Do total da poluição produzida pela indústria turística, 74% têm origem nos transportes. Destes, 40% provêm dos aviões, sendo o restante dos automóveis.

“A preservação dos parques florestais é, sem dúvida, a melhor forma de combater os gases do efeito estufa. No Brasil, os Ministérios do Turismo e do Meio Ambiente estão com projetos conjuntos de investimentos em infra-estrutura para revitalização de 25 parques nacionais, sempre visando promover o turismo sustentável”, disse José Evaldo.

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), 46 dos 49 países mais pobres do mundo dependem do turismo como fonte de renda. “O turismo é uma das atividades que mais gera emprego e renda, é uma promessa para a diminuição das desigualdades sociais. A tendência é sua expansão cada vez maior”

Fonte: Ministério do Turismo

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

Compartilhar nas Redes Sociais

Comentários


 

Veja também

Criação do código ambiental catarinense: uma reflexão sobre as enchentes e deslizamentosAnuário reúne informações sobre cadeia do biodiesel

 

editar    editar    editar    178 visitas    0 comentários