Números comprovam o sucesso da Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial

O mercado brasileiro de tecnologias ambientais participou, nos últimos dias 03, 04 e 05 de novembro, no ExpoCenter Norte, em São Paulo, do maior encontro do Setor, com a presença de profissionais de nove países, Brasil, Holanda, França, Espanha, Itália, I

  
  

O mercado brasileiro de tecnologias ambientais participou, nos últimos dias 03, 04 e 05 de novembro, no ExpoCenter Norte, em São Paulo, do maior encontro do Setor, com a presença de profissionais de nove países, Brasil, Holanda, França, Espanha, Itália, Inglaterra, Finlândia, Suíça e Alemanha , a VI Fimai (Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial), responsável pela captação de negócios que gerou, nesse ano, cerca de quase 40% a mais que os 180 milhões de reais da última edição.

Realizada pela Revista Meio Ambiente Industrial, que há seis anos foi a responsável pela criação da Feira, a Fimai
contou, em seus 15 mil metros quadrados, com a participação de 328 expositores, sendo que 20% são representantes internacionais.

“Hoje há uma atenção especial às exigências legais e ao resultado favorável que atividades relacionadas à atuação ambiental podem trazer às empresas. Isso fez com que ultrapassássemos todas as nossas expectativas referentes a número de expositores, visitantes e de negociações”, comemora Julio Tocalino Neto, diretor do evento.

Os 33 mil visitantes puderam conferir, nos três dias de evento, destaques como a apresentação de novas tecnologias para tratamento de efluentes; novidades para monitoramento do ar; assim como novos sistemas de gestão para resíduos domésticos e indústrias.

Vale ressaltar ainda como destaque desse ano, o espaço dedicado ao que se denominou “Ilhas de Carbono”. A assinatura do governo russo aderindo ao Protocolo de Kyoto , que tem como objetivo reduzir o aquecimento global , coincidentemente, na data de abertura da Fimai, favoreceu uma participação bastante produtiva desses expositores, uma vez que pode ser amplamente discutida a participação brasileira nesse mercado incipiente e
promissor de carbono, cuja expectativa de negócios gira em torno de R$ 3 bilhões de reais por ano, no Brasil, em relação ao mercado de desenvolvimento limpo.

Além da Feira, aconteceram simultaneamente outros eventos, entre eles, o VI SIMAI (Seminário Internacional de Meio Ambiente industrial), a FIECOTUR (Feira Internacional de Ecoturismo 2004) e a Rodada de Negócios,patrocinada pelo Eurocentro e representada no Brasil pela área internacional da Fiesp, por exemplo.

Esse último, com o tema “Remediação de Locais Contaminados”, superou as expectativas em relação ao número de empresas européias e locais presentes , 34 da Europa, 137 do Brasil, uma do México e outra do Peru- e,
também, à quantidade de reuniões de negócios, cerca de 800, considerando-se a realização de 300 no ano anterior.

Segundo Maurício Kakazu, coordenador do Eurocentro, a Rodada gerou em 2003, como resultado imediato, algo em torno de 8 milhões de euro. Para 2004, a estimativa é de atingir um montante equivalente a 12 milhões, além de um índice de praticamente 100% de satisfação dos participantes em relação ao evento.

Para 2005, a temática adotada será “Tratamento e Reuso de Água”.

A realização do 1º Fórum Brasil-Alemanha de Biocombustíveis, organizada pela Câmara de Comércio Brasil-Alemanha (AHK) e do Seminário de Co-processamento, patrocinado pela Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), também, reafirmou a posição da Fimai de interlocutora para promover discussões e negociações entre empresas nacionais e internacionais. Para o ano seguinte, a organização do evento já está sendo
consultada para o desenvolvimento de seminários simultâneos com o VII Simai e para a participação de outras nações como expositores.

“Em 2005, Inglaterra, França, Espanha e China também estarão conosco na realização de mais uma Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial”, garante o diretor Tocalino Neto.

Fonte: AG Comunicação Ambiental

  
  

Publicado por em