Óleo da Petrobrás atingiu a praia de Guaecá em São Sebastião-SP

Na segunda-feira, dia 22 de fevereiro, por volta das 18h, devido as intensas chuvas que há mais de 48 horas cairamm sobre o Estado, houve o rompimento de algumas das 20 barreiras de contenção e de absorção construídas para conterem o óleo vazado do oleodu

  
  

Na segunda-feira, dia 22 de fevereiro, por volta das 18h, devido as intensas chuvas que há mais de 48 horas cairamm sobre o Estado, houve o rompimento de algumas das 20 barreiras de contenção e de absorção construídas para conterem o óleo vazado do oleoduto que liga o Terminal da Petrobrás em São Sebastião à Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão.

O vazamento ocorreu na última quarta-feira (18/2), próximo ao Rio Guaecá, no Litoral Norte, por onde a mancha de óleo – de área e proporção ainda não dimensionadas – chegou ao mar.

Neste, a mancha foi isolada por barreiras flutuantes, para evitar seu avanço em direção às demais praias da região.

Na segunda-feira, técnicos do Setor de Operações de Emergência e da Agência Ambiental de Ubatuba da Cetesb e da Petrobrás, realizaram, às 6h, um sobrevôo pela região e constataram a existência de óleo apenas na zona de arrebentação da Praia de Guaecá. Nenhuma outra praia havia sido contaminada e o Canal de São Sebastião estava absolutamente limpo.

Desde o começo da manhã da segunda-feira, a equipe técnica da Cetesb passou a efetuar o monitoramento por terra, para verificar a possível ocorrência de contaminação de praias vizinhas às areias de Guaecá, parcialmente impregnadas pelos hidrocarbonetos.

Com o objetivo de agilizar os trabalhos de limpeza no local e eventual exposição dos banhistas ao óleo derramado, a Cetesb solicitou à Petrobrás todos os cuidados necessários à salvaguarda da população, incluindo-se a interdição temporária da praia de Guaecá.

Fonte: Cetesb

  
  

Publicado por em