Ornitólogos descobrem nova espécie de ave na região sul do país

Em um país como o Brasil, que já tem grande parte de sua avifauna estudada e documentada, torna-se cada vez mais difícil o encontro com espécies nunca antes vistas na sua área territorial. Tais flagrantes se dão quase sempre nas zonas fronteiriças, por mo

  
  

Em um país como o Brasil, que já tem grande parte de sua avifauna estudada e documentada, torna-se cada vez mais difícil o encontro com espécies nunca antes vistas na sua área territorial. Tais flagrantes se dão quase sempre nas zonas fronteiriças, por motivos óbvios, sendo muito raros nas porções centrais do Brasil, e muito menos nas proximidades de grandes cidades.

Os pesquisadores Marcos R.Bornschein, Giovanni Mauricio e Raphael Sobânia, porém, fizeram dois registros de uma espécie ainda não conhecida em território brasileiro: o mergulhão-de-orelhas (Podiceps occipitalis). Essa ave, aparentada com os pingüins mas que vive em água doce, possui distribuição centrada na região andino-patagônica, até o setor sul da Bacia do rio da Prata.

Durante seus trabalhos de campo no ano de 2002, na região oeste de Santa Catarina, os pesquisadores acharam três dessas aves em um pequeno lago artificial, perto da cidade de Água Doce.

Na ocasião, foi considerado um grande e incomum achado. Não imaginavam que exatamente um ano depois, tornariam a encontrar a espécie em plena cidade de Curitiba (PR), no movimentado lago do parque Barigüi.

O fato é curioso uma vez que, sendo espécie migratória, parece ter chegado a esses locais acidentalmente, provavelmente motivada por erros de cálculo ou intempéries ocorridas em seu trajeto migratório usual.

A descoberta foi registrada pela fotógrafa Priscila Forone e divulgada no último número da Ararajuba (Revista Brasileira de Ornitologia), periódico científico sobre Ornitologia no Brasil.

Dentro de alguns dias, será mais uma dentre as cerca de 1730 que já foram encontradas no território brasileiro, e cuja `nacionalidade brasileira` é concedida pelas deliberações do Comitê Brasileiro de Registros
Ornitológicos.

Fonte: Sociedade Fritz Müller de Ciências Naturais

  
  

Publicado por em