Viaje quase de graça com Milhas Aéreas

Notícias > Ambiente > 

Papagaios raros da Mata Atlântica foram capturados no Espírito Santo

Técnicos da Aracruz Celulose encontraram no mês de julho, nas áreas de plantios de eucalipto no Espírito Santo, três exemplares de uma ave rara da Mata Atlântica ameaçada de extinção, a Tiriva (Pyrrhura leucotis), da família dos papagaios (Psittacidae). A

27 de Agosto de 2003.
Publicado por Equipe EcoViagem  

Técnicos da Aracruz Celulose encontraram no mês de julho, nas áreas de plantios de eucalipto no Espírito Santo, três exemplares de uma ave rara da Mata Atlântica ameaçada de extinção, a Tiriva (Pyrrhura leucotis), da família dos papagaios (Psittacidae). A informação foi dada no Rio de Janeiro, pela assessoria de imprensa da companhia.

Segundo a assessoria, as aves foram capturados durante monitoramento feito pela empresa e pela Ong Fundação Pró-Natureza (Funatura) para obtenção de dados biológicos, como peso, condições de plumagem e medidas.

Após o levantamento as aves são devolvidas à natureza no local da captura. As Tirivas ou Fura-matos são um grupo especial entre os papagaios da Mata Atlântica devido ao marcante colorido da plumagem.

Para a sobrevivência de várias espécies do ecossostema, a possibilidade de deslocamento entre os fragmentos de floresta nativa tornou-se crucial.

`Nenhum exemplar dessa ave havia sido solto na natureza após a coleta de dados. Antes, as aves estudadas eram preparadas para museus. O trabalho da Aracruz e Funatura está contribuindo para o futuro dessa ave`, disse o biólogo Paulo de Tarso Zuquim Antas, da Funatura, responsável pelos estudos de avifauna na Aracruz.

A empresa detém hoje a maior área privada de Mata Atlântica do Espírito Santo - território destinado unicamente à preservação do bioma, o que garante sua permanência.

A Aracruz também produz mudas de plantas nativas para recuperação de áreas compradas em estágio de degradação.

A companhia já identificou em suas áreas mais de 430 espécies de aves, que dependem dos recursos oferecidos pelas florestas nativas e pelos plantios de eucalipto e seu sub-bosque.

Entre as espécies encontradas, oito são consideradas ameaçadas de extinção, de acordo com a listagem oficial do Ibama deste ano, entre elas o papagaio Chauá (Amazona rhodocorytha), o Sabiá-pimenta (Carpornis melanocephalus) e Maria-branca (Xipholena atropurpurea).Escolhidas por serem excelentes indicadoras de biodiversidade, as aves são objeto de vários estudos.

Desenvolvido por uma equipe conjunta da Aracruz e da Funatura desde 1993, o monitoramento da avifauna engloba o levantamento, acompanhamento das dinâmicas biológica e populacional, bem como interações ecológicas, das espécies de aves nas reservas e plantios de eucalipto da empresa.

Recentemente, o trabalho em conjunto de monitoramento de aves em áreas de plantio e reservas da Aracruz Celulose na Bahia e Espírito Santo resultou em achados significativos para espécies ameaçadas.

`A detecção de exemplares do Beija-flor-de-rabo-canela (Ramphodon dohrnii) e do Gavião-pomba (Leucopternis lacernulata) no ano passado em áreas da empresa demonstram que a Aracruz alcança sucesso na conservação da biodiversidade da Mata Atlântica`, analisou Antas.

Há um ano, dois exemplares de uma das aves mais raras da Mata Atlântica - o beija-flor-de-rabo-canela - foram capturados numa reserva florestal da empresa no extremo-sul da Bahia e soltos em seguida.

A ave também consta da lista atualizada do Ibama de espécies ameaçadas de extinção e das relações de entidades internacionais como a Birdlife International e a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). A localidade da ocorrência é nova para o beija-flor, que teve registro mais recente em 1989, na atual Reserva de Porto Seguro (BA).

Um exemplar do Gavião-pombo-pequeno - espécie endêmica da Mata Atlântica e também ameaçada -também foi identificado em maio último em áreas da Aracruz no norte do Espírito Santo. Já havia registros da ave nas áreas da empresa, mas só sobrevoando plantios. Desta vez, o animal foi detectado em uma área de preservação.

De acordo com o Centro Nacional de Pesquisa para Conservação de Aves (Cemave), esta foi a segunda vez que a espécie foi capturada no país.

`Este fato demonstra que as áreas da empresa no Espírito Santo e Bahia oferecem condições adequadas à preservação e aumento da biodiversidade`, disse o coordenador de Planejamento Ambiental da Aracruz, Auro Campi de Almeida.

Fonte: Agência Brasil

Compartilhar nas Redes Sociais

Comentários


 

Veja também

Brasil e Cuba querem desenvolver vacina contra carrapato bovinoGreenpeace recorre de decisão da justiça que permite o plantio dos transgênicos

 

editar    editar    editar    749 visitas    0 comentários