Parlamentar francês defende modelo misto para setor elétrico

Na abertura do painel “Necessidades Básicas dos Países em Desenvolvimento”, no seminário “Crises e Soluções na Indústria Elétrica Mundial”, promovido pela Eletrobrás e a Electricité de France (EDF),o parlamentar francês Jean-Claude

  
  

Na abertura do painel “Necessidades Básicas dos Países em Desenvolvimento”, no seminário “Crises e Soluções na Indústria Elétrica Mundial”, promovido pela Eletrobrás e a Electricité de France (EDF),o parlamentar francês Jean-Claude Lenoir falou sobre a aprovação, ontem,do projeto de lei que transformou a EDF numa sociedade anônima.

“Votei por procuração”, disse Lenoir, relator do projeto, explicando o fato de estar no Rio de Janeiro no mesmo dia em que seu texto foi aprovado em Paris.

Ele disse que a mudança do status da EDF, empresa estatal criada em 1946, não é uma iniciativa isolada, e que vai levar um bom número de países a seguir o que chamou de “via mista”, ou seja, uma empresa que usa recursos públicos e privados.

Lernoir explicou a necessidade de ajustar a empresa de eletricidade francesa ao novo contexto da Europa unida.

Segundo o parlamentar, a EDF vinha sofrendo restrições operacionais em outros países da Europa por contar com o respaldo do governo francês.

“Temos que dar meios à EDF para se instalar nos outros países, já que o mercado na França também será aberto”, explicou o parlamentar.

Lenoir afirmou que o que acaba de acontecer em seu país permite observar que a terceira via hoje se instala com boa aceitação.

“A terceira via permite apelar a capitais privados para reforçar a capacidade de produção, melhorar as redes e tornar a interconexão mais confiável”, elogiou.

Ele fez questão de destacar que a mudança não significa uma ruptura, mas uma adaptação ao novo ambiente europeu.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Eletrobrás

  
  

Publicado por em