Paulínea-SP ganhou corredores urbanos arborizados

A Prefeitura de Paulínia está criando corredores urbanos arborizados com espécies da flora nativa que partem das matas remanescentes, e transformam as avenidas e praças existentes em uma espécie de “braços” dessas áreas verdes. O Programa

  
  

A Prefeitura de Paulínia está criando corredores urbanos arborizados com espécies da flora nativa que partem das matas remanescentes, e transformam as avenidas e praças existentes em uma espécie de “braços” dessas áreas verdes.

O Programa de Adequação Ambiental de Paulínia é uma parceria do poder público, universidade e iniciativa privada. Participam do projeto a Sedema-Secretaria de Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente de Paulínia, o Laboratório de Ecologia e restauração Florestal da Esalq - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queirós (USP – Universidade de São Paulo) e a CPFL - Companhia Paulista de Força e Luz.

Esse é um dos cases desenvolvidos pelos 19 municípios que compõem a Região Metropolitana de Campinas e que foram apresentados no dia 24 de junho, durante o I Congresso de Meio Ambiente de Paulínia e RMC.O evento aconteceu no período de 21 e 25 de junho, na Câmara Municipal de Paulínia.

O programa que está sendo desenvolvido em Paulínia é um exemplo de que a degradação ambiental provocada pelo crescimento desordenado dos municípios, principalmente nas regiões metropolitanas, começa a sair do campo das discussões e caminha para ações práticas que poderão garantir a preservação dos recursos naturais, mesmo no meio urbano.

De acordo com o professor e pesquisador da Esalq, Ricardo Ribeiro Rodrigues, coordenador do Departamento de Ciências Biológicas da universidade, o programa está na fase de pesquisas,imprescindíveis para permitir o zoneamento das áreas remanescentes e para a catalogação das espécies nativas que serão utilizadas nos corredores arborizados.

O trabalho envolve também as áreas de mata ciliar, nas margens dos rios que cortam o município, com o objetivo de recuperar as áreas devastadas. O projeto técnico deverá estar concluído até junho de 2005, quando terá início a sua execução com a arborização dos corredores.

Parceria

Com a parceira do programa a ser implementado em Paulínia, a CPFL quer tornar este trabalho um projeto piloto para as outras cidades da RMC e da área de atuação da concessionária de energia elétrica.

De acordo com o gerente do Departamento de Meio Ambiente da CPFL, Tarcísio Borin, não apenas a Prefeitura e a população são beneficiadas com a cidade ambientalmente planejada, como a própria empresa,que ganha com a redução do serviço de poda das árvores e dos prejuízos causados pela interrupção do fornecimento de energia elétrica em decorrência de galhos sobre a fiação.

A parceria neste projeto faz parte do compromisso da concessionária de contribuir com o meio ambiente e proporcionar melhor qualidade de vida para a comunidade onde atua. A concessionária também deverá disponibilizar mudas das espécies existentes em seus viveiros. No ano passado, a CFPL destinou mais de 135 mil árvores para o reflorestamento de municípios.

“O projeto não tem apenas benefício paisagístico com a ampliação do sombreamento na área urbana.A arborização promovida com espécies nativas servirá para atrair espécies da fauna, como os pássaros que vivem nas áreas preservadas, para o meio urbano, além de propiciar a conservação ambiental da região”,acrescenta o professor da Esalq.

Fonte: Ateliê da Notícia

  
  

Publicado por em