Paulínia-SP desenvolve programa para acabar com a poluição

O desenvolvimento do licenciamento, do monitoramento e da fiscalização ambiental pelo Poder Público Municipal e a implantação de programas de pesquisa, educativos e de reflorestamento são a base do Projeto Poluição Zero que a Uniemp, Fórum Permanente das

  
  

O desenvolvimento do licenciamento, do monitoramento e da fiscalização ambiental pelo Poder Público Municipal e a
implantação de programas de pesquisa, educativos e de reflorestamento são a base do Projeto Poluição Zero que a Uniemp, Fórum Permanente das Relações Universidade/Empresa, desenvolveu para a Prefeitura de Paulínia e que estará sendo apresentado na próxima quinta-feira, dia 20 de novembro, no I Encontro Técnico sobre Meio Ambiente”, na Câmara Municipal.

O evento é uma iniciativa da Secretaria do Meio Ambiente de Paulínia, do Ressmap – Representantes das Empresas em Segurança, Saúde e Meio Ambiente de Paulínia e da ESTRE – Empresa de Saneamento e Tratamento de Resíduos.O objetivo é diagnosticar os problemas e propor soluções para as questões ambientais, além de tornar públicos as iniciativas e projetos das empresas do pólo químico e petroquímico de Paulínia e Região.

O Projeto Poluição Zero incluiu a realização de um diagnóstico de Paulínia e a elaboração do zoneamento ambiental visando a proposição de mudanças na legislação sobre meio ambiente do município e a geração de programas voltados para a melhoria da qualidade de vida da população. O resultado é um amplo programa de meio ambiente para o município.

Um dos principais pontos estabelecidos é o fortalecimento da Seddema – Secretaria de Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente de Paulínia, com a contratação de pessoal técnico especializado para que a Prefeitura, em parceria com a Cetesb, possa promover o licenciamento ambiental de novas empresas que queiram se instalar no município.

A Prefeitura também deverá implantar um sistema próprio de monitoramento do ar, da água, do solo e da saúde humana do município,considerando que, atualmente, a administração municipal se baseia no monitoramento realizado pela Cetesb e pelas empresas instaladas na cidade.

O programa prevê ainda atribuir à Prefeitura um poder maior de fiscalização por meio da criação da Guarda Ambiental Municipal, além de promover a Educação Ambiental por meio de treinamento dos professores da rede municipal de ensino e apoiar os programas de pesquisa acadêmica das universidades em assuntos de interesse da cidade.

Em parceria com a iniciativa privada, a Prefeitura ampliará o programa de reflorestamento com o plantio de 850 mil mudas de árvores nas margens dos rios que passam pelo município.

De acordo com o gestor ambiental do Instituto Uniemp e coordenador do Poluição Zero, Fernando Kertzman, o projeto está concluído e pronto para ser implantado.

“Falta apenas apresentá-lo oficialmente às autoridades, as empresas de Paulínia e à comunidade de Paulínia para receber suas contribuições e concluir esta primeira fase, que foi a formatação do projeto”, explica.

Capacidade de Suporte

Outro projeto que deve despertar o interesse da comunidade no I Encontro Técnico sobre Meio Ambiente é o estudo de “Capacidade de Suporte”, desenvolvido pela Cetesb e pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente.

Segundo o coordenador técnico do projeto Cláudio Alonso, o estudo teve por finalidade detalhar as situações em que um novo empreendimento poderia impactar o meio ambiente de Paulínia.

“Paulínia tem uma vocação tipicamente industrial e o seu desenvolvimento é possível desde que seja respeitado um conjunto de parâmetros. Hoje em dia, com as tecnologias disponíveis e com as novas formas de atuar das empresas é possível promover o desenvolvimento sustentável e a melhoria contínua da qualidade de vida”, explica.

O projeto de estudo de “Capacidade de Suporte” de Paulínia começou a ser elaborado em 1999 e está sendo concluído agora, devendo ser apresentado ao Consema – Conselho Estadual de Meio Ambiente no início do próximo ano.

“Claro que Paulínia apresenta alguns problemas relacionados principalmente a qualidade da água e do ar, mas eles são perfeitamente administráveis. E isso se deve às fórmulas de aperfeiçoamento e à maneira de agir adotadas pelas empresas nas questões relacionadas ao ar, à água, ao solo e a vegetação da área industrial”, diz.

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

13h – Recepção aos participantes

13h30 – Cerimonial de Abertura

Apresentação do Seddema

Edílson Rodrigues, secretário municipal de Defesa e Desenvolvimento do Meio Ambiente

Apresentação: Programa Poluição Zero

Fernando Kertzman, gestor ambiental do Instituto Uniemp

14h – Palestra: Uma avaliação da Qualidade do Ar em Paulínia – prof. doutor Edson Tomaz – Unicamp

15h30 – Coffee Break

15h50 – Palestra: Capacidade de Suporte em Paulínia

Cláudio Dawin Alonso, assessor da Secretária Estadual do Meio Ambiente

16h50 – Apresentação de Cases de Soluções Ambientais – Ressmap

Fonte: Ateliê da Notícia

  
  

Publicado por em

GABRIELA LEONEL VIEIRA DA SILVA

GABRIELA LEONEL VIEIRA DA SILVA

13/11/2008 22:36:08
EU achei esta pesquisa muito interesante
gostei de mais pra minha vida escolar porque eu adoro estudar muito para mim fazer uma faculdade pra mim ser alguém na vida esse vai ser o orgulho dos meus pais.
obrigado********

Lidiane

Lidiane

04/11/2008 18:44:56
bem eu acho de devemos acabar com os desmatamentos, com a poluição,como o de chamines, com as fumaças do carro, etc.È muito bom as atitudes de vocês, para acabar com a poluição da atmosfera,um abraço para você...

Jamilla viana

Jamilla viana

01/10/2008 17:10:49
nos devemos mesmo acaba com essa poluiçao porque nós somos os maiores prejudicados com ela