Paulo Souto condena atuação do Governo no rio São Francisco

O governador da Bahia, Paulo Souto, foi categórico na quinta-feira (28/4) durante audiência pública da Comissão Especial do Semi-Árido da Câmara dos Deputados: a única forma de se legitimar a transposição do rio São Francisco seria por meio de um pacto en

  
  

O governador da Bahia, Paulo Souto, foi categórico na quinta-feira (28/4) durante audiência pública da Comissão Especial do Semi-Árido da Câmara dos Deputados: a única forma de se legitimar a transposição do rio São Francisco seria por meio de um pacto entre os estados que formam a bacia - Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas e Sergipe - e os que seriam beneficiados com as águas - Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Paulo Souto também criticou, no debate, a pressa com que o Governo Federal quer realizar a obra, sem ouvir as populações que serão atingidas. Ele não acredita, porém, que um consenso seja possível.

`Eu acho que isso não existe, sobretudo porque esse projeto já está sendo aprovado. Foi aprovado pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos e agora depende de licenciamento ambiental`, disse.

`Há informações de que esse licenciamento será concedido, de modo que o Governo dá provas de talvez não querer ouvir os estados, porque já está decidido a fazer o projeto`, complementou.

A Comissão Especial do Semi-Árido discute o projeto proposto pelo Governo Federal de construir dois canais com 700 quilômetros de extensão para transpor parte da vazão do rio São Francisco para as regiões do Nordeste que sofrem com a seca.

Viabilidade :

O representante baiano lamentou o fato de o Governo ter ignorado o estudo feito pelo Comitê da Bacia do São Francisco que apresentava restrições sobre a viabilidade do projeto. O presidente da Comissão, deputado José Carlos Machado (PFL-SE), também criticou a postura do Governo.

`Eu continuo perplexo e consciente de que o Governo Federal resolveu, de forma irresponsável, tocar esse projeto. Nós não somos contra a transposição. Mas, se for para levar a água a uma distância de 600 quilômetros para irrigar terras, aí nós também, da bacia doadora, queremos discutir nossas prioridades`, afirmou o deputado.

Estudos apresentados pela SBPC - Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência também suscitaram dúvidas quanto ao projeto de transposição, mas essas opiniões, segundo Paulo Souto, também foram desconsideradas pelo Governo.

Divergência :

O relator da Comissão do Semi-Árido, deputado Marcondes Gadelha (PTB-PB), reclamou do apoio de José Carlos Machado (PFL-SE) às críticas feitas por Paulo Souto ao projeto de transposição.

`Até a apresentação do relatório, o presidente da Comissão deve manter a isenção`, disse Gadelha.

Por outro lado, o deputado José Carlos Araújo (PFL-BA) também cobrou isenção do relator, que, segundo ele, tem manifestado seu apoio à transposição.

No final da audiência, o presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, fez um apelo para que a Região Nordeste permaneça unida na discussão da transposição.

`Eu tenho certeza de que o bom senso irá imperar entre todos aqueles que estão no Governo e fora do Governo, na situação ou na oposição. Vamos nos juntar para o engrandecimento do Nordeste`, disse.

Frente Parlamentar :

Algumas cidades já estão se organizando para protestar contra as obras. Segundo José Carlos Machado, os moradores de Pirapora (MG) participarão nesta sexta-feira (29/4) de uma manifestação pública para demonstrar a insatisfação com o projeto do Governo.

Fonte: Agência Câmara

  
  

Publicado por em