Pesquisa da PUC-Campinas revela riscos de contaminação com esponjas de cozinha

Análises em esponjas utilizadas em 14 cozinhas industriais da região de Campinas constataram elevados índices de coliformes totais e fecais, e microorganismos que podem causar náuseas, dores abdominais e fadiga. Pesquisa

  
  

Análises em esponjas utilizadas em 14 cozinhas industriais da região de Campinas constataram elevados índices de coliformes totais e fecais, e microorganismos que podem causar náuseas, dores abdominais e fadiga.

Pesquisa realizada pelas professoras Maria Magali Stelato Rocha, Silvana Mariana Srbernich e Sonia Maria Ferreira da Silva, da Faculdade de Nutrição da PUC-Campinas, revela que as condições sanitárias das esponjas das cozinhas industrias são inadequadas e preocupantes.

O resultado do trabalho demonstra que o nível médio de contaminação chega a 5,3 log UFC/mg (unidades formadoras de colônias contaminantes por miligramas), após três dias de uso.

A contaminação é considerada elevada se comparada com o leite, por exemplo, que não pode ultrapassar 0,1 log UFC/ml, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

O estudo foi realizado em 14 cozinhas industriais da região de Campinas. As três pesquisadoras forneceram duas esponjas esterilizadas para cada empresa e depois analisaram o material recolhido em laboratórios da Faculdade de Nutrição da PUC-Campinas.

Foram encontrados índices elevados de coliformes totais e fecais em todas as amostras e microorganismos que podem causar náuseas, dores abdominais e fadiga.

A presença de bolores e leveduras também foi alta nas esponjas de 12 unidades, o que, segundo a professora Silvana Mariana Srbernich, indica alta potencialidade de intoxicações e infecções. Índices preocupantes de coliformes fecais foram encontrados em cinco das esponjas fornecidas às 14 empresas.

Artigo publicado no Journal of Hygiene, dos EUA, divulgou que 17,1% dos casos de toxinfecções causados no país provêm de restaurantes industriais. As pesquisadores da PUC-Campinas explicam que medidas de limpeza como mergulhar a esponja em vinagre ou cândida sem alvejante, após o uso, podem atenuar o alto grau de contaminações.

Serviço:

A Faculdade de Nutrição da PUC-Campinas é vinculada ao Centro de Ciências da Vida (CCV), que abriga também as faculdades de Ciências Biológicas, Ciências Farmacêuticas, Fisioterapia, Enfermagem, Fonoaudiologia, Medicina, Odontologia, Psicologia e Terapia Ocupacional.

O diretor do CCV é o professor Luiz Maria Pinto e a diretora da Faculdade de Nutrição é a professora Katia Regina Guimarâes.

Fonte: PUC

  
  

Publicado por em