Pesquisadora da Embrapa explica importância das matas de galeria

A tese de doutorado da pesquisadora da Embrapa Cerrados Lucília Parron, defendida este ano na UnB - Universidade de Brasília, mostra como é importante para o produtor e para o ambiente a conservação das matas de galeria. A novidade do estudo é que ele

  
  

A tese de doutorado da pesquisadora da Embrapa Cerrados Lucília Parron, defendida este ano na UnB - Universidade de Brasília, mostra como é importante para o produtor e para o ambiente a conservação das matas de galeria.

A novidade do estudo é que ele avalia a ciclagem de nutrientes em função da topografia. O estudo foi feito no Córrego Pitoco, na Reserva Biológica do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no Distrito Federal.

Lucília explica que estudou nutrientes como o nitrogênio, o carbono, o fósforo, o potássio, o magnésio, o enxofre e o cálcio e como acontecia a passagem desses nutrientes da água para o solo e para as plantas.

Ela descobriu que a ciclagem ocorria de maneiras diferentes de acordo com a topografia. Ou seja, mais perto da margem do córrego, a dinâmica de transporte de nutrientes é diferente de como ela acontece em uma faixa um pouco mais afastada da mata de galeria.

Como os nutrientes são os responsáveis pela alimentação das espécies vegetais, essa diferença na ciclagem tem papel importante na biodiversidade das matas de galeria.

Atualmente, de acordo com a legislação, os proprietários devem preservar pelo menos uma faixa marginal de 30 metros de largura em caso de córregos pequenos.

Lucília acredita que a conservação dessa faixa é importante, mas defende que toda a mata de galeria seja preservada, o que equivale a uma faixa de 50 a 100 metros.

`Preservando 30 metros, temos um tipo de vegetação. Em 60 metros, existem mais tipos`, avalia.

Ela explica que as matas de galeria ocupam apenas 5% da área do Cerrado, mas são responsáveis por 32% da sua biodiversidade. Além de preservar a biodiversidade, ela explica que manter a mata de galeria garante a qualidade e o volume da água dos córregos.

A Embrapa Cerrados, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, orienta os produtores interessados em recuperar as margens de córregos e rios. Basta entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Cidadão - SAC pelos telefones (61) 388-9953/ 388-9941 ou por e-mail .

Fonte: AssCom Embrapa

  
  

Publicado por em