Pesquisadora da Embrapa prevê aumento de produção de grãos em Rondônia

Vilhena está inserida em uma das regiões do país que mais vai produzir grãos nos próximos cinco anos”. A previsão, de autoria da pesquisadora da Embrapa Rondônia na Área de Tecnologia de Produção, Marley Marico Utumi, vem de encontro ao potencial qu

  
  

Vilhena está inserida em uma das regiões do país que mais vai produzir grãos nos próximos cinco anos”. A previsão, de autoria da pesquisadora da Embrapa Rondônia na Área de Tecnologia de Produção, Marley Marico Utumi, vem de encontro ao potencial que o sul de Rondônia oferece em conjunto com o Mato Grosso na produção de grãos.

O cenário atual apresenta dados otimistas em relação às perspectivas de aumento, escoamento e exportação da produção. Em Rondônia, o porto graneleiro localizado em Porto Velho, além do transporte hidroviário, são diretrizes que apontam para o desenvolvimento da agropecuária do Estado em direção das previsões da pesquisadora. De acordo com ela, a cultura de grãos movimenta toda a cadeia produtiva da região Norte do país.

“O milho, a soja e o arroz geram riqueza e representam comida no prato de quem mora na nossa região. A soja, principalmente, se transforma em capital desde quando o produtor decide investir na cultura”, diz a pesquisadora, se referindo aos setores produtivos envolvidos no agronegócio.

“E essa riqueza é imediata”, continua Marley Utumi. “Comparando com a pecuária, por exemplo, a geração de riquezas do grão é bem mais evidente, já que o boi se transforma em capital somente quando é abatido”, apresenta.

TECNOLOGIAS :

A Embrapa Rondônia possui um Campo Experimental para o desenvolvimento de pesquisas e experimentos em Vilhena. Atualmente, dois pesquisadores desenvolvem projetos para a otimização de cinco culturas: soja, milho, arroz, feijão e a espécie florestal pinus.

Entre as tecnologias desenvolvidas, o Campo Experimental da Embrapa, empresa vinculada ao Mapa - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é referência no combate ao fungo que ataca o arroz e ocasiona perdas de até 100% na produção: o bruzone (Pyricularia orizae).

“Vilhena apresenta um micro clima que reúne condições favoráveis para a multiplicação do fungo, ou seja, uma variedade testada e considerada resistente em Vilhena, tem grandes chances de ser resistente em outras regiões do país.

Além do teste de variedades, investimos em pesquisas para efetuar o controle preventivo e sistêmico da doença, impedindo que ela se instale na lavoura”, diz Marley Utumi.

Mais informações sobre variedades, tecnologias e produtos desenvolvidos e testados pela Embrapa Rondônia no Campo Experimental de Vilhena podem ser obtidos pelo telefone (69) 321-9351 ou através da assessoria de comunicação social da empresa em Porto Velho: (69) 222-0014 / ramal 6530.

Fonte: Embrapa - Rondônia

  
  

Publicado por em

Fabio pereira silva

Fabio pereira silva

27/08/2009 18:00:37
o unico jeito de combater as praga é atraves de pesquisa onde temos a embrapa como parceria, é atraves desse metodo que podemos chegar a produção desejada