Poluição industrial cresce na América do Norte

Um informe, divulgado recentemente pela CCA - Comissão para a Cooperação Ambiental, que reúne os Estados Unidos, México e Canadá, diz que houve um aumento na emissão de resíduos tóxicos pela área industrial do três países num período de dois anos. No

  
  

Um informe, divulgado recentemente pela CCA - Comissão para a Cooperação Ambiental, que reúne os Estados Unidos, México e Canadá, diz que houve um aumento na emissão de resíduos tóxicos pela área industrial do três países num período de dois anos.

No relatório En Balance, a organização trinacional informa que um grupo de cerca de 15 mil indústrias da América do Norte emitiram ou transferiram 32% a mais de substâncias químicas perigosas entre 1998 e 2000 em relação ao biênio anterior.

Estas instalações, com emissões e transferências de substâncias químicas de até 100 toneladas, representam a maior parte dos contaminantes do Canadá e Estados Unidos.

`É desalentador observar um número tão grande de instalações reportar a emissão de mais contaminantes em nosso meio ambiente`, lamentou o diretor executivo interino da Comissão, Victor Shantora, acrescentando que: `o contaminante pequeno, com `c` minúsculo, pode não chamar a atenção como as grandes usinas elétricas ou as fábricas de produtos químicos, mas seu efeito se faz sentir em todo o meio ambiente da América do Norte.

No Canadá, estes contaminantes tiveram um aumento de 66% nas emissões e transferências de substâncias químicas. Nos Estados Unidos, o mesmo grupo de indústrias teve um aumento de 29%. Em contraste, as 3.600 instalações que reportam 100 toneladas ou mais de emissões ou transferências tiveram uma redução de 7% em contaminantes.

Apesar disso, este grupo segue representando 90% do total da contaminação, sendo o ácido clorídrico a substância com a maior quantidade de emissões. No total, o informe contabiliza mais de 3,3 milhões de toneladas de substâncias químicas emitidas ou transferidas em 2000, incluídas substâncias cancerígenas ou vinculadas a causas de defeitos congênitos.

Seis jurisdições (Texas, Ohio, Ontário, Pensilvânia, Michigan e Indiana) norte-americanas são responsáveis por 37% das emissões totais, com registros de mais de 165 mil toneladas de emissões ou transferências cada uma.

Embora a quantidade que se transfere entre fronteiras seja relativamente menor, o Canadá se converteu em um exportador de substâncias químicas, devido a uma diminuição nas exportações estado-unidenses para o Canadá de 43% entre 1998 e 2000.

As instalações canadenses enviaram ao redor de 36 mil toneladas de substâncias químicas aos EUA em 2000 quantidade igual às transferências dos EUA para o México.

Fonte: Radiobras

  
  

Publicado por em