Pré-Conferência de Meio Ambiente do Estado de São Paulo (em Botucatu)

RELÁTÓRIO SOBRE BOTUCATU Durante os dias 24, 25 e 26 de outubro, Botucatu, abrigou a Pré-Conferência Nacional de Meio Ambiente do Estado de São Paulo. A cidade do interior paulista, foi escolhida para facilitar o acesso do maior número de municípios na

  
  

RELÁTÓRIO SOBRE BOTUCATU

Durante os dias 24, 25 e 26 de outubro, Botucatu, abrigou a Pré-Conferência Nacional de Meio Ambiente do Estado de São Paulo. A cidade do interior paulista, foi escolhida para facilitar o acesso do maior número de municípios na proposição de metas para o meio ambiente.

Cerca de 1000 pessoas participaram da eleição dos delegados para Brasília. O objetivo da Pré-conferência era possibilitar a participação da sociedade civil de um modo geral, não só para os movimentos ambientalistas organizados.

A aguardada 1a. Conferência Nacional de Meio Ambiente marcada para 28, 29 e 30 de novembro, em Brasília, será posterior as etapas municipais e estaduais. O slogan nacional escolhido foi “vamos cuidar do Brasil”.

Os três dias em Botucatu foram recheados de cansativas discussões, moções, requerimentos, e outras atividades visando à formatação e a reelaboração do texto-base (fornecido pelo Ministério do Meio Ambiente).

Os cidadãos brasileiros que estavam em Botucatu movidos por uma ação ambiental civil e política, foram recebidos com panfletos distribuídos, a exaustão, nos quais lia-se a seguinte “provocação”: Depois de Cuidar do Brasil, Venha Conhecer o Mc Donald’s Botucatu (um lugar especial).

A propaganda institucional do Mc Donald’s local, foi irônica, e causaria grandes estragos se tivesse sido feita em solo europeu. Em Botucatu 70 irreverentes ambientalistas brasileiros realizaram uma pacífica manifestação contra a multinacional.

A passeata partiu da Avenida Dom Lúcio (catedral principal) e rumou para a Avenida Vital Brasil, as principais vias da cidade e nas quais estão localizados os dois Mc Donald’s (o primeiro no formato quiosque de sorvetes e no segundo uma grande lanchonete no padrão internacional).

Os manifestantes cantaram músicas de paz e pregaram a união das pessoas para a construção de um mundo melhor e mais justo. O “grito de ordem” “Mc Câncer” também fez parte do repertório.

Algumas pessoas da cidade aderiram. Um simpático senhor fez questão de parar o carro para cumprimentar a “dama da Paz”, uma “performer de estátua viva” que também fazia parte do protesto e simbolizava o caráter pacífico. A emblemática “dama da Paz”, posicionou-se no meio da avenida Vital Brasil, em frente ao Mc Donald’s, com uma bandeira azul na qual estava escrito: Vamos cuidar do Brasil.

O gerente ao ser questionado sobre a sua opinião respondeu que não poderia dar uma resposta nem mesmo como cidadão porque ele não possuía uma. Foi uma resposta típica da robotização humana, prática conhecida no Brasil e mundo.

Ao serem expulsos do circuito Drive-thrue, os manifestantes alegaram que foram convidados a conhecer o Mc Donald’s de Botucatu e mostraram o panfleto recebido, dentro do evento de Meio Ambiente. Percorreram na seqüência, pela segunda vez, o “circuito olímpico” Drive-thrue.

Dos três dias em Botucatu os melhores momentos foram: o episódio relatado acima e o círculo humano no ginásio com direito a ciranda de roda e a mesma música entoada na maior parte da manifestação contra o Mc Donald’s. Ambos os eventos foram idealizados pelo mesmo grupo e ganharam coro local.

A roda que circundou o ginásio não parava de crescer (com a crescente adesão das pessoas), as palmas multiplicavam-se, os sorrisos, a energia, a atmosfera lúdica, de vida, de transformação, de bons propósitos e de que é possível um mundo melhor e mais harmonioso para se viver.

A partir de valores e posturas simples, mas imprescindíveis como o sentimento do coletivo, de ser um todo e não uma mera parte dissociada. O sentimento de interrelação, de interdependência, de conectividade produzido nesses dois episódios de Botucatu fez valer a pena à ida à Botucatu.

Um dos delegados eleitos foi Thomas Antonio de Sousa, ele é o delegado legítimo da carismática trupe, ele será um dos representantes do Estado de São Paulo, na Conferência Nacional do Meio Ambiente. O Thomas, é um exemplo de representatividade de seu grupo e possui a consciência de que seu grupo é a humanidade e todos os outros seres vivos.

Melina Prestes, jornalista - 27/10/03

  
  

Publicado por em